Make your own free website on Tripod.com



carlosvaz-massage

Breve esclarecimento sobre o meu trabalho. Espero que seja do vosso agrado.

Descrição dos meus serviços:

Massagens de relaxamento e lazer e Terapias Manuais:

MASSAGENS:
 
- Massagem Indiana AYURVÉDICA (massagem com óleos ayurvédicos)
- Massagem Chinesa TUI-NA (massagem vigorosa dos tecidos moles, mobilizações articulares passivas, alongamentos e digitopressão)
- Massagem Japonesa SHIATSU (Técnicas de acupressão nos merídianos, e alguns alongamentos)
- Massagem Desportiva (massagens c/ espuma de banho, gelo, óleo, com ou sem lubrificante - massagem de extremos: - rápida e vigorosa - lenta e profunda. Prepara o atleta para a competição, ou o cliente para um dia de trabalho árduo. Relaxa toda a musculatura e descongestiona o ácido-láctico e aderências provocadas pelo stress do dia-a-dia ou pela adrenalina da competição)
- Massagem Desportiva Integral (fusão de massagens desportivas orientais e ocidentais. É efectuada no chão em colchonete apoiado num plástico, por causa da humidade. Inverno: - Utiliza-se sequencialmente: espuma de banho em água tépida - água quente - seca-se o/a cliente com toalha seca - aplica-se óleo aquecido por todo o corpo em movimentos de massagem, para hidratação. Verão: - Utiliza-se sequencialmente: espuma de banho em água à temperatura normal alternada com água fria e gelo - finalmente aplica-se um gel  em movimentos de massagem por todo o corpo, para hidratação. A massagem é feita de forma rítmica, coordenada e com movimentos oscilatórios utilizando as mãos e os pés.
- Massagem com Cristais e Pedras Preciosas (visa o equilíbrio dos Chakras e pontos de energia)
- Indian Head Massage (massagem crânio-facial e crânio-cervical, com ou sem lubrificante)
- Quiromassagem localizada (massagem sueca localizada, normalmente utiliza-se em preparação para a manipulação)
- Massagem dos Pés (massagem de preparação para a reflexologia podal, ou aplicada em objecto de relaxamento e pés cansados)
- Massagem BREUSS/DORN (massagem na Coluna Vertebral com óleo específico; massagem de preparação para a manipulação do método DORN)
- Massagem Tradicional Tailandesa (massagem c/ pressões, percussões, vibrações, amassamentos, calcamento c/ pés, alongamentos, estiramentos, mobilizações, torções, tracções, depressões, etc.)
- Massagem Tailandesa com Óleo (massagem efectuada com óleo quente e toalhas para uma manipulação suave e súbtil. Massagem vigorosa quando feita no chão, dá a sensação que passou um autocarro por cima do cliente, mas é extremamente relaxante. Quando feita na marquesa é muito suave e relaxante)
- Massagem Tailandesa dos Pés (massagem energética das linhas SEN dos Pés, e manipulação efectuada nos pés com stick)
- Massagem de Estética Zonal, Facial e Corporal (forma rejuvenescedora de massagem nas várias regiões do corpo, para libertação de tensões e facilitar a irrigação sanguínea e circulação linfática, na prevenção do envelhecimento precoce)
 
TERAPIAS MANUAIS:
 
- Reflexologia Podal (diagnóstico e tratamento através das zonas reflexas dos pés - método ocidental Dr. William Fitzgerald)
- Kinesiologia Aplicada (Avaliação do tónus muscular pela Cinesiologia do movimento; avaliação emocional; correcção por Kinesiologia)
- Alongamento Manual - método ARIEL JOSELOVSKY (Alongamento específico para músculos posturais encurtados. Avaliação postural e correcção de assimetrias da Coluna Vertebral; ginástica postural, método Ariel Joselovsky)
- Pilates (em objecto de manutenção e equilíbrio físico e emocional; correcção postural)
- Reiki (libertação somato-emocional - desbloqueio dos Chakras - equilíbrio das energias súbtis - técnicas de meditação)
- Manipulação BAN-FA (Chiroprática Chinesa - realinhamento das estruturas ósseas e articulares por redução das restrições das mesmas)
- Manipulação THAI (Alongamento e estiramento músculo-esquelético e redução das restrições ósteo-articulares. Método oriental efectuado no chão)
- Seitai - Método Japonês de trabalho corporal, em objecto de correcções posturais, no âmbito da manipulação, nomeadamente, em reduzir restrições osteoarticulares, através da aplicação de técnicas de mobilizações articulares, alongamentos músculo-tendinares e técnicas de manipulação de tranco rápido de baixa amplitude
- Thai Stretching (método Thai de alongar o corpo - método evoluído pelo próprio CARLOS VAZ)
- Manipulação método DORN (realinhamento da Coluna Vertebral e das articulações apendiculares e extremidades - método suave e eficaz. Pode-se corrigir um desnivelamento dos membros inferiores até 6 cm )
- Liberação MIOFASCIAL (libertação de aderências / barreiras "pontos de gatilho" e alongamento da fáscia. Corrige assimetrias posturais, que produzem dor miofascial.)
- Técnicas de Energia Muscular (trabalho isométrico e isotónio para equilíbrio do tónus muscular em objecto de correcção de assimetrias posturais, e extinção da dor proveniente das mesmas)
- Mesoterapia (tratamento anti-dor, anti-gordura e anti-flacidez)
- Mesolifting (tratamento anti-rugas, por preenchimento dos espaços das rugas)
- Cristaloterapia (acupressão energética com cristais para equilíbrio dos chakras e linhas sen)
- Massoterapia Clínica (manipulação de tecidos moles, técnicas de Cyriax e libertação de restrições das fáscias)
- Terapia TUI-NA (digitopressão dos merídianos visando liberar a estagnação da energia QI, problemas músculos-tendinares e articulações)
- Drenagem Linfática Manual (drenagem da linfa, método Vodder, visa a estética e a terapêutica, nomeadamente: - na prevenção de celulite, flacidez e na extinção de papos dos olhos e edemas linfáticos, devido a retenção de líquidos por desequilíbrio das hormonas foliculina e progesterona entre outros problemas, mais em evidência na puberdade, gestação e menopausa). Também eficaz como tratamento pós-cirúrgia, e como meio profiláctico.
- Aromaterapia  (massagem relaxante com óleos essenciais de aroma e inalação através de ambientador aromático eléctrico ou manual)
- Ginástica Localizada (exercícios correctivos, de manutenção e para fortalecimento muscular - estética postural)
- Calatonia / Toques Súbtis (Trabalho terapêutico Psico-corporal, onde o toque súbtil desbloqueia as emoções e desperta a consciência e força interior)
- Massagem Desportiva (inclui tratamentos face a lesões desportivas e outras. Utiliza-se diversos tipos de massagem, designadamente: Massagem Californiana, Massagem com os Pés; Massagem vigorosa de descongestionamento, Stretching, Massagem de Espuma de Banho, Reflexologia Podal e Trabalho Corporal, Manipulação Tecidos Moles, Drenagem Linfática, entre outras)
- Massagem Pediátrica Chinesa (Massagem e técnicas terapêuticas físicas e energéticas para crianças e bebés)
- Kinésio Taping
- Reflexologia Japonesa
- Moxabustão
- Massagem Japonesa ANMA (massagem profunda, com técnicas transversais às fibras musculares (tipo Cyriax), visando problemas de contracturas musculares e tensão, entre outros)
 
OBSERVAÇÕES IMPORTANTES:
  1. Sabia que a harmonia, ou o equilíbrio, designada fisiologicamente por "homeostase", evita a entrada de doenças e sua proliferação no nosso organismo?... Ao invés, a desarmonia, ou o desequilíbrio é sinónimo de fragilidade.
  2. Sabia que se o equilíbrio estrutural e energético, não for prontamente reposto nas condições normais, o nosso corpo torna-se vulnerável e receptível às doenças? ... e mais ... numa fase adiantada poderá tornar-se irreversível, à semelhança de um tumor maligno, ou de modo similar a uma articulação em fase degenerativa.
  3. Sabia que a energia subtil que flui no nosso organismo é vital para qualquer ser vivo?
  4. Sabia que a energia é alterada em função da nossa vida quotidiana, nomeadamente, no que concerne a alterações climatéricas, alterações dos hábitos alimentares, alterações dos hábitos do sono, alterações dos hábitos profissionais, alterações emocionais, etc. etc.? Sabia também que esses hábitos, quando alterados podem contribuir significativamente para a desarmonia da energia, e se não forem harmonizados adequadamente podem suscitar a médio / longo prazo doenças indetectáveis numa fase preliminar da sua gestação?
  5. Sabia que o nosso corpo reflecte o que vai na alma, ou seja, o manto exterior deixa trespassar o que se passa no interior, quer do corpo, quer da mente?
  6. Sabia que o ser humano deve ser analisado holisticamente, isto é, como um todo: espirito - corpo - alma?
  7. Sabia que a dor é um sintoma de desequilíbrio, indicando que algo está mal?
  8. Sabia que o nosso corpo quando desequilibrado estruturalmente, procede às compensações de cadeia muscular como uma forma de defesa fisiológica, e, cujas compensações, mais tarde, irão suscitar dor noutro local, a que chamamos lesões secundárias, provocadas pela então lesão ou disfunção primária, que é induvitavelmente a raíz do problema?
  9. Sabia que uma dor ciática pode ter origem numa disfunção da coluna cervical?... do mesmo modo, um encurtamento de um dos membros inferiores pode ser provocada também pela coluna cervical.
  10. Sabia que um problema no joelho pode ser devido a uma lesão secundária, provocada por desnivelamento, ou disfunção pélvica? - porventura também pode ser originado por deficiente inervação de uma raíz nervosa lombar, por exemplo, um dermátomo?
  11. Sabia que uma entorse da articulação tibio-társica, um pé chato (plano), um problema no ombro, etc., podem contribuir de forma considerável para o desequilíbrio de toda a estrutura esquelética, que por sua vez irá reflectir no deficiente funcionamento dos sistemas orgânicos, na medida em que estes dependem da boa enervação das ramificações nervosas oriundas do sistema nervoso central (medula espinal) que passa no canal raquidiano?
  12. Sabia que a estrutura governa a função? E porventura quem governa a estrutura..., será a energia? sem dúvida!
  13. Sabia que as doenças inerentes à coluna vertebral, designadamente, as sobejamente conhecidas escolioses, hipercifoses dorsais, hiperlordoses cervical e lombar, podem ter origem no desequilíbrio do tónus muscular e/ou disfunção visceral, devido porventura a problemas emocionais, má postura, sedentarismo, profissões, desporto de alta-competição, gestos técnicos desportivos assimétricos, etc., que contribuem sobremaneira para uma degeneração precoce das articulações, sobretudo dos discos intervertebrais (discopatias), que, por consequência irão provocar a médio ou longo prazo, prolapsos discais e disfunção acentuada nomeadamente nas vísceras, por deficiente enervação das ramificações nervosas que saem da coluna vertebral (espinal medula)?
  14. Sabia que as fáscias que se caracterizam por um tecido conjuntivo, cuja função é conetar como um manto contínuo, todas as estruturas do nosso corpo, acumulam metabolitos, também conhecidas por aderências, e são susceptíveis de desencadear nódulos (fibrose) e pontos de gatilho, encurtando desta feita o tecido, e por consequência provocando dor, por vezes exacerbada?
  15. Sabia que se houver desequilíbrio na estrutura das fáscias, devido a inúmeros problemas, como por exemplo, problemas de foro emocional, lesões desportivas sistemáticas, entre outras, podem efectivamente alterar de forma significativa o seu comportamento e desorganizar toda a biomecânica e por consequência o funcionamento fisiológico dos sistemas orgânicos?
  16. Sabia que o Síndrome do Túnel Carpiano (enervação de três dedos e meio pelo nervo mediano que passa por baixo do retináculo dos flexores dos dedos), pode ser provocado pela obstrução de uma vertebral sobre o nervo, ou prolapso discal na coluna cervical? E que a cirúrgia focalizada unicamente na desobstrução das estruturas do carpo, por si só, pode não ser suficiente para irradicar o problema?
  17. Sabia que uma lesão cervical pode originar osteófitos e/ou calcificação nas vértebras cervicais envolvidas, e portanto esse problemão pode interferir negativamente no funcionamento da artéria basilar (vertebral), produzindo esquémia? A consequência da compressão dos osteófitos sobre a artéria, que tem por função irrigar o cérebro, é provocar sintomas, tais como, vertigens, formigueiro, tonturas, ...
  18. Sabia que um problema do joelho pode ter haver com uma dinfunção da ATM (articulação temporo-mandibular)? Sabia que essa disfunção acarreta prejuízos para uma boa saúde da dentição, e de todo o organismo?
  19. Sabia que a estrutura esquelética humana é como as peças de um dominó, que quando uma delas se desequilibra derruba as outras em cadeia? 

ARTIGO

Massagens Tailandesas

Body Work e Thai Stretching

INTRODUÇÃO:

 

Definição: O Thai Stretching é uma fusão de diversas técnicas criadas por mim de alongamentos e mobilizações passivas. A denominação THAI, significa livre, com efeito, refere-se a trabalho corporal de forma livre, ritmada e coordenada.

 

O Thai Body Work, é uma actualização, ou se quizerem uma adaptação da evolução da Massagem Tradicional Tailandesa (NUAD BO-RAN). Este método trabalha o corpo em objecto de equilibrar a energia súbtil (linhas Sen), e reduzir assimetrias estruturais, que se não forem rapidamente dissipadas, a médio ou longo prazo suscita problemas a nível da coluna vertebral, designadamente, as sobejamente conhecidas hiperlordoses cervical e lombar, hipercifose dorsal e a escoliose de compensação postural, que numa fase preliminar de adaptação é assintomática. Estas técnicas de mobilização articular passiva e estiramento músculo-tendinar são extremamente relaxantes e suaves, mobilizam toda a estrutura do sistema de locomoção e, nesse sentido, corrige assimetrias da coluna vertebral, também tem uma componente de manipulação de tranco rápido (similar à Quiroprática) nomeadamente através de técnicas de redução de restrições osteo-articulares específicas.

 

Objectivos: O meu trabalho realiza-se sobretudo em função da estética corporal, aliando o relaxamento à terapêutica correctiva (realinhamento da estrutura). Aplico métodos de trabalho de facilitação proprioceptiva (trabalho isométrico pós-facilitação), energia muscular (trabalho isotónico e isolítico), de uma forma diferente da ocidental, nomeadamente as que aplicam nos programas de reabilitação nos centros de fisioterapia. Esta vertente de trabalhar o corpo, tem efeitos bastante significativos na condução de um corpo saudável e apresentável de dentro para fora e vice-versa.

 

Diferença metodológica do método ocidental: O que diferencia o método oriental do ocidental, é o seguinte: - Este trabalho engloba várias vertentes de massagens orientais e ocidentais, e técnicas de energia muscular e manipulação, em objecto do equilíbrio, da saúde, da estética, do lazer e do bem-estar. É descrita como uma técnica polivalente vocacionada para o equilíbrio integral da pessoa humana, quer a nível estrutural quer a nível energético. Esta técnica é efectuada no chão, num colchonete, executada a um ritmo coordenado de monobras lentas e profundas com interacção do profissional e cliente.

 

Asseguro-vos que quando experimentarem uma destas técnicas jamais as esquecerão, e seguramente irão beneficiar com elas a todos os níveis, nomeadamente, físicos, energéticos e espirituais. É induvitavelmente uma técnica com características muito próprias e muito abrangentes, posso mesmo classificá-la como a massagem ou trabalho corporal dos seis sentidos, na medida em que, desperta todos os sentidos do ser humano e a percepção (6º sentido).

 

Por conseguinte, há vários aspectos a ter em consideração nesta modalidade de trabalho corporal, designadamente:

 

Conceito da unidade psicossomática:

 

De uma forma bastante sucinta, poder-se-á dizer que o ser humano é uma unidade psicossomática, isto é, o corpo físico numa unidade com o sistema emocional.

 

Definição da massagem dos seis sentidos:

 

Como é sobejamente conhecido no mundo da terapia manual, o corpo revela efectivamente a história da pessoa que o reveste, nomeadamente, através das posturas, da marcha, das tensões musculares, das regiões dolorosas do corpo, dos vícios gestuais, da morfologia do corpo em geral e do comportamento emocional. Para encontrar resposta a esta maneira de ser, é necessário descobrir sobretudo o código que nos predispõe ao contacto com o outro corpo, de forma a que a relação entre profissional e cliente configure um diálogo de energia súbtil em consonância. Desta forma, as descrições das diferentes técnicas englobadas neste contexto têm como objectivo seguir um padrão de acompanhamento nas descobertas do prazer da massagem integral, ou seja, o prazer dos sentidos, tais como: - saborear um bom chá de ervas aromáticas no início e no final da sessão da massagem, o prazer de sentir o seu corpo a ser manipulado e trabalhado pelo profissional, o prazer de ouvir uma boa música a condizer com a massagem e com o ambiente que o rodeia, o prazer da inalação das essências que nos despertam para uma viagem alucinante ou imaginativa, o prazer de observar literalmente a decoração da sala ou espaço da massagem, e por fim o prazer incondicional de estar ali durante sensivelmente duas horas em estado meditativo, na interligação dos seis sentidos,  contemplando toda a maravilha que a massagem nos pode oferecer, atingindo o extase dos sentidos, ..., que se convertem na satisfação total do ser humano, como uma dádiva dos deuses.

 

Esta massagem é um tónico de prazer e felicidade, contribuindo para a unificação do espirito, da mente e do corpo. Uma tese oficialmente reconhecida é a unidade funcional entre a mente e o corpo: o que acontece na mente reflectir-se-á no corpo e vice-versa. Uma mente sã, reflecte-se num corpo são. Um corpo belo é sinónimo de mente positiva, de emoções equilibradas e de uma estrutura corporal forte e saudável.

 

Tensões e regidez corporal contínua provocam a diminuição da energia vital do indíviduo. A maior parte das vezes as tensões físicas são provenientes do stress da vida quotidiana, que advêm das preocupações, de pensamentos corruptos e consequentes. Os conflitos emocionais sistemáticos não resolvidos contabilizam o somatório das várias fases negativas da pessoa ao longo dos anos, que mais cedo ou mais tarde irá entrar em colapso emocional, originando a depressão, muitas vezes, descrita pelo doente como uma situação sem saída, onde os pensamentos mórbidos proliferam na mente da pessoa, deixando-a num estado lastimável de extrema solidão, angústia e desânimo, à beira de um abismo. Por consequência, para estes doentes, por vezes a única saída é o suicídio. Um grau elevado de ansiedade pode ser um estado de extrema violência para a mente e por arrasto para o corpo, cujo corpo degradar-se-á perecivelmente de uma forma lenta e dolorosa. Certos estados de ansiedade levam o doente à hipocôndría, que é garantidamente um “código postal” para suscitar certas doenças a médio ou longo prazo, sobejamente conhecidas como doenças psicossomáticas.

 

Portanto, o nosso modo de ser e as nossas predisposições relatam-nos sobremaneira a nossa história. Recuperar o corpo significa reconciliar-se com ele, sermos indulgentes e possuirmos amor altruista para com o nosso semelhante. Isto não significa que tenhamos de levar uma vida num regime de linhas ortodoxas, sem emoções, nem tampouco dedicarmo-nos única e exclusivamente às modalidades que são mais próximas da natureza, como o yôga, ou Tai Chi Chuan, ..., e nos privarmos dos prazeres da vida, como por exemplo, optarmos por um regime alimentar severo como o único caminho para a longevidade e saúde, que por vezes pode provocar situações antagónicas ao nosso bem-estar e à nossa saúde. Por meu turno, sou apologista de que o ser humano tem de ser livre, e contemplar as coisas boas da vida, como as mordomias e outros prazeres da vida, todavia, desde que devidamente controlados e no âmbito do equilíbrio do bem-estar e da saúde. Portanto, tudo o que vai para além do limite ou fora dos parâmetros legais da boa relação humana com o ambiente e com o nosso semelhante, prejudica-nos sobremaneira. É de primordial importância que a pessoa aprenda a gostar de si próprio, ter prazer e gosto por si mesma, olhar um pouco para o seu ego como um ser original e especial. Para isso, é fundamental e imperativo que enverede pelo caminho que o seu coração apraz. Cada povo tem a sua identidade e os seus costumes. Desde que tenhamos uma alimentação equilibrada e saúdável, evitaremos contrair doenças que supostamente são mais susceptíveis, por exemplo; se por sistema alimentarmo-nos à base de carne em detrimento de peixe. Por vezes, não é o que se come, mas quando e como se come; por exemplo: - uma pessoa com insónias, a causa pode porventura estar associado a erros alimentares, nomeadamente, pessoas que acordam por volta das duas da madrugada e adormecem uma ou duas horas mais tarde. Esta situação pode dever-se a um exagero da refeição da noite, por exemplo, um prato completo com carne e acompanhamento, ingerido entre as 19h e as 20h, porém, seis horas mais tarde, o fígado entra em actividade, e recebe as toxinas que tem de neutralizar. Não obstante o fígado ser um dos órgãos mais complexos e importantes do nosso organismo, que executa várias funções metabólicas e reguladoras, infelizmente ele é incapaz de exercer a sua função durante o sono, e, por consequência, obriga a pessoa que está a dormir a acordar. As misturas de hidratos de carbono, como massa com arroz, feijão, grão, e gorduras saturadas, …, contribuem para a obesidade, e para uma deficiente qualidade de vida.

 

Na perpectiva ocidental e no confronto numa avaliação concernente a situações específicas, concluiu-se que não são só nos vegetais que está o segredo da longevidade. Ademais, a proteína animal é indespensável ao bom desenvolvimento da criança, designadamente o leite e seus derivados, por exemplo, a clara do ovo é um dos alimentos proteícos mais completos que temos na nossa alimentação, os peixes gordos, como o salmão, atum, sardinha, entre outros, são riquíssimos em bom colesterol (HDL), gorduras polinsaturadas. Para concluir este raciocínio, presumo que todos os alimentos são bons, desde que consumidos moderadamente, e no meu entender, devemos dar graças a Deus por os termos à nossa mesa.

 

Voltando ao objectivo deste artigo, que é publicitar “o Thai Body Work e as massagens talandesas”, mais adianto que certas modalidades específicas, como o trabalho corporal e a massagem, são uma prerrogativa de pessoas especializadas para o efeito, que realizam tarefas de carácter estritamente terapêutico, vocacionadas para o trabalho de estética corporal e/ou postural.

 

INDICAÇÕES:

Estas modalidades de massagem e de trabalho corporal de características bastante versáteis, dada a sua variedade de técnicas inconstantes, mas sequenciais, está absolutamente indicada sobretudo para quem goza de boa saúde, mas também, em situações de ordem patológica, nomeadamente, como nos casos de dores de costas, dores de cabeça; em transtornos digestivos, como a dispepsia, na medida em que a massagem estimula a produção da bílis podendo activar o trânsito intestinal. É seguramente eficaz nas contracções musculares, atrofias musculares, drenagem do ácido láctico acumulado nos músculos derivado à adrenalina após esforço desportivo prolongado, ou outras actividades de stress quotidiano que estimulam o sistema nervoso simpático. Também aborda outras situações de ordem traumática, nomeadamente, tendinites, entorses, distenção muscular, subluxações, e como não podia deixar de frisar, tem efectivamente uma óptima acção benéfica nos problemas respiratórios. Ajuda ainda na circulação sanguínea e linfática, na prevenção de cãibras, no combate a edemas nas extremidades e  reduz os sintomas das pernas pesadas. Diminui as dores provenientes do reumatismo e das artroses. Portanto, a massagem e o trabalho de energia e alongamento nuscular é um eligir de longividade e saúde, na prevenção da celulite, de fibroses e das rugas, e como não podia deixar de ser, na hidratação da pele e renovação celular. Reduz os depósitos gordos e devolve o tónus aos tecidos.

 

 

CONTRA-INDICAÇÕES:

À semelhança de outras técnicas, esta não foge à regra, e está contra-indicada em situações de grau de osteoporose elevada, fracturas, luxações, processos inflamatórios sentidos em regiões do corpo avermelhada, quente e/ou inchada, também na presença de febre, pessoas com cancro e portadoras do HIV (nestes últimos dois casos pode acelerar o seu processo de desenvolvimento).

Lisboa, 2 de Março de 2007

Autor do artigo:  Carlos Vaz - Personal Trainer e Terapeuta de Trabalho Corporal

 

A R T I G O

MASSAGEM TAILANDESA

DE

ÓLEO AQUECIDO COM TOALHAS 

 

AGRADECIMENTOS:

 

Na qualidade de profissional e estudante de várias vertentes de terapias manuais de conceito holístico, quero em primeiro lugar saudar a Revista Estética Viva, e em particular uma palavra de apreço para as pessoas que a representam, designadamente, a Directora Patrícia Bandeira e a Editora Stela Martins, porque graças aos apoios de editorial e interesse na matéria, foi possível publicitar este artigo, para elas os meus sinceros agradecimentos. Também uma palavra de agradecimento à administração do TEMPLUSSPA – Corpo e Mente, pela generosidade e sensível colaboração na cedência do espaço para a realização da sequência fotográfica, e também à Daniela Velez pela sua excelente prestação como modelo neste artigo.

 

Antes de me pronunciar relativamente a esta modalidade em particular, prezo em fazer menção à Massagem Tradicional Tailandesa, como forma de reconhecimento e agradecimento, porquanto, foi indubitavelmente  uma técnica co-adjuvante que serviu de inspiração, não só para continuar o estudo das demais técnicas de manipulação da Medicina Tradicional Tailandesa, mas também, para estudar outras técnicas orientais de massagem com a mesma linha de abordagem, suprimindo assim as necessidades que sentia ao executar uma massagem. Por outro lado, obtive um leque de conhecimentos sobre as medicinas tradicionais e culturas orientais que é extremamente gratificante e enriquecedor. Não obstante, quero salientar objectivamente alguns pormenores importantes alusivos ao funcionamento da energia e de todo o ritual que caracterizam singularmente as massagens tailandesas, e designadamente a Massagem Tailandesa de Óleo. Nesse sentido, abordo sinteticamente alguns aspectos fundamentais e imperativos que identificam a Thai Oil Massage, no que concerne à sua definição, origem e teoria, segundo a Medicina Tradicional Tailandesa. Porém, é também oportuno e justificável falar um pouco sobre a teoria energética dos três tesouros segundo a Medicina Tradicional Chinesa, que tem um peso considerável de destaque no mundo das terapias complementares e/ou alternativas.

 

INTRODUÇÃO:

 

A massagem é uma das técnicas sanadoras e relaxantes mais antigas da história, incluindo aquelas civilizações que não estudaram, depuraram nem reconheceram a massagem como uma componente legal da saúde, do bem-estar e integrante da vida quotidiana. Sua prática está presente de uma maneira reflexa: a que conduz a auto-pressionar ou esfregar de forma automática e instintiva a zona do corpo em que a pessoa sente moléstia ou dor. Civilizações tão importantes como a grega, a egípcia ou a romana impulsionaram a prática e o estudo da massagem, que tem vindo a evoluir de muitas formas até aos nossos dias.

 

As novas gerações concedem à saúde a importância que esta merece. Por conseguinte, graças a este novo enfoque, as terapias complementares ou alternativas à medicina alopática, vêm aperfeiçoando-se no sentido de ocuparem um lugar de destaque entre as ocupações mais valorizadas socialmente. Daí a aparição massiva de centros de estética, spas, herbanárias, espaços sen, estabelecimentos naturistas e gabinetes de massagem.

 

A esperança de vida é cada vez mais elevada, à excepção da qualidade de vida propriamente dita que se vai degradando à medida que os equipamentos e a sofisticação social evolui a olhos vistos, em detrimento dos bons hábitos naturais e saudáveis. E este não é o fecho casual mas sim causal: a prevenção e o aumento da qualidade de vida (para alguns) são as causas fundamentais. Há bem poucos anos, a palavra prevenção não tinha sentido, porquanto, a pureza dos alimentos, do ar, e da actividade do mero cidadão era indubitavelmente mais graciosa. Não obstante, actualmente os centros de massagem assistem clientes saudáveis que pensam unicamente na prevenção e manutenção do corpo, como uma forma de lazer e bem-estar: é necessário e imperativo compensar o desgaste físico e mental derivados das actividades diárias e do stress do quotidiano. Muitas baixas ao trabalho laboral se devem principalmente ao stress, ansiedade, depressão, e muitas outras têm origem em lesões relacionadas com a coluna vertebral e lesões devido a esforço de trabalho repetitivo.

 

Assim como, o homem precisa de se alimentar bem e descansar o suficiente, para manter a sua saúde e robustez física, é também fundamental o homem cuidar do seu corpo. Qual a pessoa que não se orgulha de possuir um corpo esbelto, vestir-se bem, ter uma boa pele, uma boa aparência, enfim..., estes são aspectos de primeira necessidade. Contudo, é evidente que um bonito traje não assenta bem numa coluna vertebral torcida, ou um pescoço contracturado, ou um rosto tenso e cansado. Por estes e outros motivos, é irrefutável que a massagem não é um luxo, mas sim uma necessidade indespensável para a obtenção da felicidade e do bem-estar.

 

Para colmatar necessidades de primordial importância que são evidentes nas inúmeras vertentes de massagens e terapias manipulativas manuais, tenho pesquisado e estudado a forma correcta e eficaz de trabalhar o corpo, aliando as componentes necessárias para conseguir um corpo equilibrado energética e estruturalmente, em benefício da beleza, da saúde e do bem-estar físico e emocional. Assim, a minha intenção, é publicitar e dar a conhecer este excelente tónico de saúde, de beleza e de bem-estar, denominado Massagem Tailandesa de Óleo. Neste contexto, o meu trabalho centraliza-se sobretudo em função da estética corporal e da manutenção da saúde.

 

A MASSAGEM TAILANDESA DE ÓLEO DE ESSÊNCIAS

 

Definição:

 

Thai é uma denominação tailandesa que significa livre, significado que deriva de um país que nunca vacilou no seu objectivo “rumo à liberdade”,  contrariando a submissão perante o poderio da Birmânia.

 

Tal como o nome indica, “Thai” não é uma técnica rudimentar que parou no tempo, suas técnicas vêm evoluindo constantemente ao longo dos tempos de uma forma livre e consciente acompanhando a evolução das gerações, sem contudo perder a autenticidade e originalidade que as caracteriza. Por isso, é que existem na tailândia muitas diversificações e diferenças de técnicas provenientes do Nuad Bo-Ran (Massagem Tradicional Tailandesa das Escolas do Sul e do Norte da Tailândia, TTM de Wat Po e ITM da província de Chiang Mai, respectivamente).

 

A Massagem Tailandesa de Óleo Aromático, é uma das componentes técnicas da Medicina Tradicional Tailandesa, e faz parte integrante das técnicas manipulativas, juntamente com a Massagem Tradicional Tailandesa (Nuad Bo-Ran) e a Massagem Tailandesa dos Pés. Outras modalidades que compõem a Medicina Tradicional Tailandesa são a Fitoterapia e a Meditação.

 

Dada a polivalência e a diversificação de técnicas que caracterizam a Thai Massage, esta modalidade pode dividir-se em duas vertentes, a saber: a sobejamente conhecida Thai Oil Massage, que trabalha o corpo e o campo energético em função do bem-estar e do equilíbrio, e que faz parte da MTT; e a vertente desportiva, utilizada na preparação de atlectas de alta competição, designadamente, profissionais de Muay Thai e outros desportos de combate tailandeses.

 

Óleos com essências são facultativamente aquecidos numa lamparina e aplicados por todo o corpo do cliente com massagem harmoniosamente fluída e ritmica. Os aromas a utilizar são escolhidos em função do objectivo a considerar.

 

Origem e evolução da técnica:

 

A origem da massagem encontra-se no próprio ser humano, no seu instinto e necessidades. Contudo, é importante conhecer a localização geográfica e temporal de uma técnica de massagem para aprender a manejá-la. A Tailândia era conhecida até 1934 d.c. como Siam, reino geograficamente situado numa importante cruzilhada de caminhos de antigas rotas comerciais e migratórias. Sua história, cultura e medicina foram afectadas pela sua localização, e portanto, influenciadas por várias culturas orientais suas vizinhas. Embora se conservem poucos documentos históricos credíveis e com o seu devido valor cultural e histórico, a maioria desses documentos foram destruídos durante as múltiplas invasões. Consta-se que os tailandeses procedem originalmente de aldeias de indus (da India). Com efeito, a Tailândia recebe influências de diversas culturas, designadamente, hindús, chinesas, mongólias, birmânias, tibetanas e cambojeanas. No século XII as principais civilizações assentadas na Tailândia, designadamente os monges, procedentes da India, e os Khmer procedentes do Camboja, são absorvidas pelos príncipes tailandeses Pha Muang e Bang Klang Thao. Assim, em 1238 d.c. se forma o primeiro reino tailandês de Sukhothai, também conhecido como «o amanhecer da felicidade».

 

Durante seu explendor e graças ao Rei Rama Khamheng, o reino estabelece relações comerciais com a China, promove a região budista (introduzida pelos monges, entre os séculos III e II a. C.), a cultura (criando o actual alfabeto tailandês), a arte e a medicina tailandesa. No início do século XIV, uma série de lutas dinásticas iniciaram a decadência de Sukhothai e em 1365 transpassam todos os poderes ao Reino Thai em Ayutthaya. Sem nunca cessar os conflitos contínuos com seus vizinhos birmaneses, no século XVI a Tailândia inícia seus contactos com o mundo ocidental. Apesar dos birmaneses destruirem em 1569 a Ayutthaya, esta emerge de novo e se converte numa grande metrópele, visitada por chineses, japoneses, hindús e europeus, e conhecida como «a cidade mais bonita da região Este». Em 1767, os birmaneses, ou birmanos, invadem de novo Ayutthaya, causando grandes perdas humanas e materiais, entre elas a maioria dos textos sagrados, políticos e médicos. Todavia, em só sete meses, o general Phya Taksin recuperou Ayutthaya e transladou a capital para Thonburi. Pouco tempo depois, após a morte de Phya Taksin, o general Chakri proclama-se Rei de Bangkok, e esta se converte na capital da Tailândia. Mais tarde, em 1832, o Rei Rama III realiza uma recompilação dos fragmentos dos textos médicos que se salvaram das invasões birmanas, gravando-las em pedra e colocou-as sobre as paredes do mosteiro real, Pha Chetuphon, mais comumente conhecido como Wot Po. As gravações de Wot Pho continuam sendo uma fonte de extrema importância e única em informação técnica sobre a massagem tailandesa.  As 60 imagens (30 no plano frontal anatómico e outras 30 no plano dorsal) descrevem um sistema completo das linhas energéticas e pontos de pressão, conceitos médicos procedentes da India e da China. Em 1955 o Colégio da Medicina Tradicional Tailandesa se estabelece em Wot Po, e a partir de 1962 se inicia a divisão ou repartição de classes de Massagem Tailandesa. Por conseguinte, a Tailândia continua sendo hoje a porta do sudeste asiático. Situada na península da Indochina, limita o Norte com Myanmar (antes da Birmânia) e Laos, a Este com Laos e Camboja, e a Oeste com Myanmar e no mar Andaman, e a Sul com a Malásia e o golfo da Tailândia. Dos seus 64 milhões de habitantes (75% são de procedência tailandesa e 14% procedentes da China), 95% são budistas, 4% são muçulmanos e 1% não faço ideia.

 

Influências da Índia e da China:

 

A Medicina Tradicional Tailandesa, desenvolveu-se sobre o influxo de várias culturas devido à sua localização geográfica. As influências mais importantes são sem dúvida a da Medicina Ayurvédica, procedente da Índia, e a Medicina Tradicional Chinesa. A Medicina Ayurvédica tem estado sempre muito ligada à religião Budista. Conta a lenda que há sensivelmente 2.500 anos o Mestre Jivaka Kumar Bhaccha, especialista em técnicas ayurvédicas, médico pessoal de Buda e do então Rei da India, criou a técnica que hoje se conhece como Massagem Tailandesa. Consta que o doutor Jivaka acompanhou o Buda durante suas peregrinações, analisando todos os conhecimentos que ia adquirindo a cada passo. Compartilhou suas técnicas com os muitos monges e monjas que quase sucumbiam ao seu redor, e as utilizou em objecto de atenuar dores e lesões musculares que sofriam devido às largas horas de meditação. Por conseguinte, estas técnicas se difundiram durante séculos de forma oral, passando de uns monges para outros, sendo os Wats (templos) os únicos lugares onde se realizavam estas práticas. Porém, quando os monges budistas emigraram da Índia para a Tailândia, levaram consigo suas técnicas de massagem. Porém, é em 1292, com a implantação do Budismo na Tailândia como religião nacional, quando sua medicina adquire verdadeira transcendência na cultura do país.

 

A razão porque na Índia não se pratica a Massagem Tailandesa, responde a várias hipóteses: uma delas é que a minoria budista da Índia sucumbiu ao influxo de outras religiões, sobretudo a Muçulmana, cuja ideologia religiosa não aceita incondicionalmente o contacto físico entre homens e mulheres na prática da massagem.

 

Uma das similaridades mais significativas entre a ayurvédica e a Massagem Tradicional Tailandesa, são as posições yóguitas que adopta o cliente de maneira passiva, com a ajuda do profissional. Por este motivo também se denomina Massagem Yóguito, ou Thai Yoga. Por outro lado, a influência da Medicina Tradicional Chinesa, sobre a Massagem Tailandesa, é consequência da elevada migração entre a China e a Tailândia. Outro lado comum no que concerne à filosofia oriental, é o conceito dos canais de energia denominados Sen que na massagem tailandesa é muito similar aos dos meridianos da Medicina Tradicional Chinesa. Por outro lado, existem claramente similaridades entre as técnicas de massagem tailandesa e outras disciplinas chinesas, designadamente a Reflexologia Podal Chinesa e a Tuina.

 

Evolução: Os Wats e as Escolas:

 

A Massagem Tailandesa, à semelhança da cultura tailandesa, estava nas mãos dos monges e monjas que habitavam nos templos ou wats. Os wats são lugares sagrados onde os tailandeses se dirigiam para atenuar ou tratar os seus sofrimentos físicos, psíquicos e espirituais, Todavia, para honrar o seu nome (thai significa «livre»), as técnicas de massagem tailandesa têm efectivamente evoluindo constantemente e de uma maneira livre, embora sem perder a sua autenticidade e identidade que efectivamente as caracteriza. Não é estranho, portanto, que existam diferenças entre povos tailandeses, entre escolas tailandesas, e também entre as mais distintas pessoas. Nesta perspectiva, o mais importante no que concerne ao objectivo desta técnica de manipulação tailandesa, é a seguinte: a Massagem Tailandesa é receptível a experimentações e evoluções técnicas, desde que se mantenha viva a sua essência original. A Massagem Tailandesa não se confunde com técnicas rudimentares de linhas ortodoxas que pararam no tempo. Muito pelo contrário, a Massagem Tailandesa, tem evoluído ao longo dos séculos em objecto duma constante actualização, contudo, mantendo a sua filosofia etiológica original. Há mais de 50 anos que a Massagem Tailandesa se revelou ao público de outras comunidades, isto é, o público em geral. Assim, se reconheceram oficialmente escolas e títulos que acreditam os formandos, como especialistas profissionais destas técnicas de massagem. A Massagem Tailandesa faz parte integrante da cultura tailandesa. Não é raro observar como os tailandeses têm o hábito de se massajarem mutuamente, quer num parque público, quer num local discreto, quer ainda no próprio local de trabalho em horário de descanso; geralmente, muitas destas pessoas aprenderam através dos seus pais e avós.

 

Existem duas vias de transmissão de conhecimentos da massagem tailandesa, a saber:

 

v     A tradição rural e a tradição real:

§         A tradição rural compreende os conhecimentos transmitidos oralmente de pais para filhos, ou através de manuscritos secretos de Mestre para aluno, à semelhança do que acontece com os sobejamente conhecidos endireitadores de ossos.

§         A tradição real, através de trocas de conhecimentos, se desenvolveu no ambiente da corte, debaixo de influências culturais da Índia, China, mundo Muçulmano e países ocidentais, e hoje são fundamentais as técnicas de massagem tailandesa que se estudam nas escolas reconhecidas

 

As Escolas de Chiang Mai e Wat Po, são efectivamente as mais reconhecidas e prestigiosas dentro e fora da Tailândia, acreditadas para ensinar e exercer as técnicas de Massagem Tailandesa, de uma forma eficaz e eficiente no âmbito dos parâmetros legais e históricos da filosofia da Medicina Tradicional Tailandesa. Embora, na Escola de Chiang Mai se pratique o denominado estilo do norte da Tailândia e na Escola de Wat Po o estilo do sul da Tailândia, as diferenças entre elas são mínimas, inexistentes aos olhos do especialista em Massagem Tradicional Tailandesa. Nos anos 60, foi criada a Fundação Shevkakomarapa conhecido pelas iniciais ITM (International Training Massage School) da província de Chiang Mai. A Escola ITM de Chiang Mai, ensina uma técnica que, baseada na tradição real, apresenta influências rurais.

 

Em 1955, Wat Po, templo do século XVII e primeira Universidade Médica da Tailândia desde 1830, foi reconhecido pelo Ministério de Educação da Tailândia como Escola de Massagem Tailandesa: a Escola TTM de Wat Po (Thai Traditional Massage School). As técnicas de massagem de ambas as escolas se fundamentam no desbloqueio de pontos energéticos, mediante estimulação das linhas e dos pontos SEN acompanhados de movimentos de estiramento muscular. Todavia, o estilo do norte de Chiang Mai e do sul de Wat Po se diferenciam, porquanto, o primeiro se concentra mais nos estiramentos e presta mais atenção aos membros inferiores, e o segundo se centra mais na estimulação dos pontos energéticos.

 

A teoria energética das linhas Sen:

 

Uma das principais características que definem as massagens orientais e em particular esta modalidade é o trabalho energético, que ainda tem pouca relevância no mundo ocidental e é muito incipiente no nosso país. O seu desconhecimento deve-se em parte a atitudes materialistas (terrenas) e cépticas do povo ocidental que observa à distância este tipo de técnicas como um fenómeno empírico que carece de fundamento científico.

 

Segundo a teoria da Medicina Tradicional Tailandesa, o ser humano é a conjunção do corpo, da mente e da alma, três aspectos importantes que deveremos ter sempre em consideração antes da realização da massagem tailandesa, pois a omissão de qualquer destes pormenores deteriorá consideravelmente o tratamento.

 

Reiterando o já referido, mais adianto que, à semelhança de outras técnicas asiáticas de massagem, a massagem tailandesa baseia-se na teoria energética, segundo a qual existem fluxos de energia entre pontos específicos do corpo, composto por alma e pelos quatro elementos, a saber: TERRA – ÁGUA – FOGO – AR

 

 

M A S S A G E M   T A I L A N D E S A   D E   Ó L E O   C O M   T O A L H A S

 

 

Pode-se dizer, que a Massagem Tailandesa de Óleo, é a fusão de um conjunto de técnicas de massagem, em parte influenciada pelas culturas chinesa e indiana, que culminou nesta vertente de massagem. É uma modalidade que evidencia uma panóplia de técnicas, com movimentos fluidos e harmoniosos, muito versátil e virtuosa, cuja finalidade é trabalhar o indivíduo em objecto da prevenção, da manutenção física, da beleza, do lazer e do  bem-estar. As principais qualidades desta massagem, são manifestamente as suas técnicas fluentes e harmoniosas, onde se utilizam também óleos aromáticos originários do continente Asiático, que influenciam de forma positiva o resultado da massagem para o qual será programada, graças às suas propriedades muito peculiares que fazem dela um eligir de saúde e longevidade. Ademais, esta vertente de trabalhar o corpo, tem efeitos notáveis na condução de um corpo saudável e apresentável.

 

A thai massagem de óleo aquecido com toalhas, adjectiva-se por uma massagem original, vigorosa e energética, permeada de um vasto leque de técnicas. À semelhança de outras técnicas congéneres, esta massagem efectuada no âmbito da estética é uma mais-valia na prevenção de gordura localizada, da pele rugosa e desidratada e do consequente envelhecimento precoce. Posto isto, é de referir que é sem dúvida uma massagem diferente e singela, na medida em que, o profissional não se guia por uma linha baseada em metodologias com contornos mecanicamente ortodoxos e complicados, como de resto acontece com muitas vertentes de massagem.

 

Nesta vertente existem duas componentes fundamentais e indissociáveis que se articulam e se completam, a saber: - a massagem sobre as linhas Sen, baseado na teoria da Medicina Tradicional Tailandesa, que tem por função equilibrar a poloridade da energia intrínseca, e a massagem profunda direccionada aos tecidos moles, articulações e ossos.

 

Uma das particularidades desta técnica é consciencializar o cliente para a sua postura corporal e não ignorá-la. Há que ter plena consciência que a espinal medula se aloja no interior da coluna vertebral, e por consequência o perigo que isso representa para a saúde se porventura a espinal medula e suas ramificações nervosas sofrerem danos por compressão. Portanto, dever-se-á orientar o cliente a adquirir uma pose corporal correcta, e se necessário, reduzir de forma premente assimetrias estruturais através de técnicas manipulativas manuais para o efeito, cujas disfunções se não forem atempadamente dissipadas, suscitarão a médio ou longo prazo, problemas com alguma gravidade na coluna vertebral. Por exemplo: um problema com que a maioria das pessoas se depara, é a escoliose funcional, que numa fase preliminar de adaptação se observa uma curvatura primária em “C”, e é quase sempre assintomática. Todavia, a coluna vai se adaptando à situação criando compensações posturais, e o próprio sistema de locomoção para compensar essas assimetrias, origina outra curvatura secundário em “C”, observando-se desta feita uma curva e contracurva compreendendo a coluna dorsal e lombar, perfazendo um “S”. A segundo curva denomina-se escoliose de compensação. Esta situação tornar-se-á sintomática já numa fase tardia (por vezes dificultando o indivíduo de exercer as suas funções normais devido a dores exacerbadas), sendo de difícil correcção,. Por consequência, a sua disfuncionalidade afectará negativamente as vísceras e os órgãos que são enervados pelas ramificações nervosas, e se esta situação se prolongar, poderá desencadear problemas irreversíveis de foro neurológico. Por conseguinte, situações desta natureza, manifestam nomeadamente um semblante marcadamente pesado na pessoa, denunciando assimetrias estruturais por vezes significativas devido a compensações e retracções anti-álgicas, que em nada abona a imagem física e que muitas vezes não corresponde verdadeiramente à idade efectiva da pessoa.

 

Objectivos:

 

O objectivo deste trabalho não se compadece em tratar doenças nem sintomas. Portanto, significa que não substitui uma profiláxia alopática de cariz científico, outro sim, comporta-se como um complemento da manutenção da saúde, e do bem-estar geral, na tentativa de aliviar o sofrimento através do equilíbrio do ser humano. Nessa perspectiva, este trabalho não incide única e exclusivamente sobre o equilíbrio da energia subtil, mas também, no equilíbrio do tónus muscular e na preparação do corpo para a manipulação em objecto da redução de restrições osteoarticulares através de técnicas manipulativas para o efeito, inseridas no âmbito da teoria da Medicina Tradicional Tailandesa, e, consequentemente a homeostasia corporal incumbir-se-á a seu tempo de uma forma natural e progressiva de dissipar a doença. Reiterando o já salientado, mais adianto que, como é apanágio destas terapias complementares e/ou alternativas, o indivíduo é analisado de uma forma holística, isto é, o profissional observa de forma panorâmica a pessoa como um todo, tendo em conta o corpo, a mente e a alma, avaliando escrupulosamente todos os pormenores na anamnese, na intencionalidade de chegar à causa, ou raíz do problema, e não propriamente aos sintomas. Assim, poder-se-á dizer que esta modalidade de manutenção da saúde, é descrita como uma técnica polivalente e complementar a outras terapias convencionais, vocacionada para o equilíbrio integral da pessoa humana.

 

Características e aplicação técnica:

 

A massagem é contínua e a transição dos movimentos faz-se com uma total entrega em interacção profissional e cliente. A massagem é fluída sem interregnos. Assim, percorre-se o corpo do cliente dos pés à cabeça, encadeando os movimentos uns nos outros, de forma homogénea, sem pensar no que virá a seguir. A massagem é executada a um ritmo coordenado e em sintonia com a música de fundo, com monobras lentas e profundas, e/ou rápidas e superficiais. À medida que se progride, aumenta-se gradualmente a pressão a uma velocidade de execução constante e ondulada. A transição da posição técnica, ora do profissional, ora do cliente, surge de forma fluida, ritmada, coordenada e articulada.

 

Nesta massagem, a diversificação das técnicas e o uso de uma panóplia de movimentos não será inequivocamente uma evolução nem tampouco sinónimo de harmonia e coerência. Como livre que é, aplicar-se-ão as técnicas em função do objectivo a considerar. Assim, passo a destacar os movimentos técnicos inerentes a esta modalidade: - deslizamentos em zig-zag, afloramentos superficiais e profundos, amassamentos, fricções, torções, percussões, pressões, vibrações, agitações, estiramentos fasciais, tracções, alongamentos, mobilizações e/ou reduções.

 

É importante salientar que não se deverá utilizar todas as técnicas numa só massagem. Devemos utilizar as técnicas necessárias em função do objectivo a considerar. Jamais utilizar numa massagem, mais de quatro técnicas diferentes, principalmente nas massagens que visam o relaxamento. No entanto, numa sessão de relaxamento aconselha-se a utilizar no máximo duas ou três técnicas harmoniosas, para manter a fluidez, a coordenação e o ritmo.

 

Metodologia e equipamentos inerentes à Thai Oil Massage:

 

Esta massagem pode opcionalmente ser efectuada numa marquesa ajustável e regulável em altura, ou num futton / tattami. No entanto, se o cliente optar por uma massagem mais forte e profunda, terá forçosamente de ser efectuada no chão. É precedida de um ritual de meditação, limpeza energética e do ritual do chá, com todo o pragmatismo que é peculiar nas massagens tailandesas, num ambiente previamente preparado para o efeito com todos os ingredientes inerentes à massagem. Dever-se-á optar por luz natural em detrimento de luz artificial, e … se porventura não existir, então utilizar-se-á velas naturais (de mel) sem odores. As luzes têm de ser muito suaves e estarem dispostas de maneira a não interferir no relaxamento do cliente e não encandear o profissional. A decoração da sala é de primordial importância e a côr pode ser relevante no tipo de tratamento que se quer aplicar. A sala deverá estar previamente defumada com incenso a fim de expulsar ou evitar energias negativas. É indispensável uma música de fundo suave ou que se coadune com o ritmo da massagem, e principalmente que seja do agrado do cliente. A meditação e o agradecimento espiritual ao Mestre Jivaka Kumar Bhaccha, fazem parte do ritual, e é imperativo antes de iniciar a sessão. Jamais improvisar durante as manobras. Os principais utensílios inerentes à prática da massagem resumem-se a três lençóis, um cobertor para cobrir todo o corpo do cliente a fim de prevenir o seu arrefecimento, uma toalha a enrolar na cabeça, uma toalha ou tanga para ocultar os genitais, uma toalha a ser utilizada pelo profissional para ajudar na manipulação, os óleos preparados com essências, uma lamparina para aquecer o óleo, e um pequeno sino para alertar o cliente do final da massagem.

 

Resumindo, as três componentes que perfazem esta massagem, nomeadamente, a massagem nos tecidos moles, o trabalho de energia e o alongamento nuscular, combinam e completam eficazmente esta modalidade, tornando-a singular no género.

 

Postura e ética profissional:

 

Antes de mais, o profissional deverá possuir predicados que o ostentem como um paradigma para outros profissionais recentemente integrados no mercado de trabalho da massagem. Portanto, é imprescindível possuir destreza, ser parco nas palavras e sustentar um reportório verbal recheado de conhecimentos da matéria, com uma retórica adequada e fundamentada de acordo com a profissão para o qual está habilitado, para assim poder responder a todas as dúvidas e questões do cliente, de forma ponderada, sóbria, espontânea e acertada. Ter uma conduta irrepreensível, responsável, e que dignifique e prestígie a profissão que representa. Deve criar condições de empatia com o cliente para que as suas intervenções sejam eficientes e desta maneira obtenha uma “resposta” recíproca. Ter uma personalidade forte para transmitir segurança e confiança em absoluto, a fim do cliente não duvidar da sua honestidade e profissionalismo. Ter a simplicidade necessária para compreender o ponto de vista dos outros e não dogmatizar as suas ideias. Tentar dentro do possível não fazer acepção de pessoas, e ser imparcial para com todos os clientes sem excepção, e não corresponder às solicitações do seu cliente em função da sua condição monetária e posição social. É importante que ajude o cliente a ter auto-estima. Deve esclarecer o cliente do tipo da massagem que irá aplicar. Jamais alimentar o diálogo durante uma sessão de massagem, e acima de tudo deverá respeitar o pudor e ter a anuência do cliente para intervenções mais íntimas. O profissional deverá mostrar-se uma pessoa limpa, sem odores, denunciando uma morfologia fisica salutar e equilibrio emocional para poder transmitir energia positiva. Usar um uniforme formal de acordo ou o mais aproximado da cultura tailandesa; por exemplo, uma túnica ou kimono folgado, de cor escura para massagem de relaxamento, ou de cor clara para efectuar uma massagem tonificante. As cores a utilizar na decoração do espaço têm de ser compatíveis com o ambiente e a terapêutica a seguir. O roxo, o violeta e o azul índigo, são cores espirituais e relaxantes, óptimas para induzirem o sono e paz interior; por seu turno, o dourado é uma cor que simboliza o poder e objectividade, portanto, é uma cor energética para o equilibrio interior; o branco, ou cores claras (não borrantes) são compatíveis com a massagem vigorosa, na medida em que, transmitem vitalidade e alerta, e, por outro lado, evidenciam paz interior e segurança.

 

INDICAÇÕES:

 

Esta modalidade de massagem com características bastante versáteis, dada a sua variedade de técnicas inconstantes mas sequenciais, é absolutamente indicada sobretudo como manutenção para quem goza de boa saúde e para salvaguarda desta, e também em situações de ordem patológica, tais como, dores de costas, cefaleias; em transtornos digestivos, como a dispepsia, na medida em que a massagem estimula a produção da bílis podendo activar o trânsito intestinal. Está indicada também para problemas de obstipação, espasmos e atrofias musculares. Ajuda ainda na circulação sanguínea e linfática, na prevenção de cãibras, no combate a edemas nas extremidades e  reduz os sintomas das pernas pesadas. Diminui as dores provenientes do reumatismo e das artroses. No âmbito da estética, contribui para a oxiginação e renovação das células, previne a celulite, a flacidez, as rugas, as varizes, a fibrose e a desidratação da pele. Reduz os depósitos gordos e devolve o tónus aos tecidos equilibrando-o. Promove o bom funcionamento da homeostasia dos líquidos corporais, no equilíbrio do sistema endócrino, nomeadamente, a boa relação de equilíbrio das hormonas progesterona e da foliculina, que nas fases fulcrais da adolescência, gestação e na menopausa da mulher, pode contribuir significativamente para um desequilíbrio orgânico; e a massagem nessas situações, evita a retenção de líquidos que mais tarde dará lugar a gordura localizada, e ao consequente aparecimento da tão temida celulite que advém desse défice periódico. Além disso, esta técnica prepara a pessoa para a vida quotidiana dando-lhe energia e vitalidade; não esquecendo também que reduz a ansiedade e atenua o nervosismo.

 

Esta modalidade de trabalho corporal de carácter polivalente, também contempla atletas de competição e outros profissionais do desporto. Com efeito, nos atlectas, é indicada na drenagem do ácido láctico acumulado nos músculos derivado à adrenalina após esforço desportivo prolongado, do mesmo modo, está também indicada em outras actividades profissionais que fomentam o stress quotidiano estimulando o sistema nervoso simpático. Durante a competição trabalha toda a musculatura com movimentos tonificantes extremamente rápidos e oscilatórios, cujos movimentos não só tonificam os músculos e canalizam a energia para a competição, como evitam lesões e estimulam a produção de endorfinas. Após a competição desportiva, o objectivo é drenar o ácido láctico acumulado após o esforço da actividade produzido pela adrenalina da competição, e relaxar toda a musculatura para evitar o cansaço físico e para preparar o atlecta para a actividade nos dias seguintes. Antes da competição, prepara os músculos para a actividade física, com movimentos rápidos e vigorosos, alongamentos passivos de contracção excêntrica e mobilizações articulares, utilizando óleo com propriedades estimulantes. Porém, também aborda outras situações de ordem traumática, tais como, tendinites, entorses, distenção muscular, subluxações, quelóidoses provenientes de processos de cicatrização devido à deposição de quantidade anormal de colagénio no tecido, e como não podia deixar de referir, tem efectivamente uma óptima acção benéfica nos problemas respiratórios. De forma similar, e devido às suas potenciais qualidades terapêuticas psicossomáticas, é também eficaz no combate ao stress da vida quotidiana do cidadão comum, prevenindo o envelhecimento precoce e as doenças provenientes do stress.

 

Como já referi anteriormente, uma das grandes vantagens desta técnica, tem haver com o equilíbrio estrutural. Como é sabido, a coluna vertebral é o pilar da estrutura do nosso corpo. Com efeito, uma postura deficiente, movimentos gestuais desequilibrados, desportos assimétricos, traumatismos e desequilíbrios emocionais sistemáticos, criam forças assimétricas na estrutura. Por seu turno, se estas anomalias não forem atempadamente tratadas na sua origem, a própria estrutura incumbir-se-á de criar compensações que mais tarde poderão suscitar problemas irreversíveis na coluna vertebral. Por sua vez, estas disfunções irão interferir no funcionamento das vísceras, e todos estes problemas causarão dor, por vezes exacerbada. Portanto, o profissional ao abordar o seu cliente, tem a preocupação de observá-lo como um todo, isto é, espírito, alma e corpo, porque o lema destes profissionais é: - uma mente sã, é sinónimo de corpo são, que se reflecte num semblante salutar.

 

 

CONTRA-INDICAÇÕES:

 

À semelhança de outras técnicas, esta não foge à regra, e está contra-indicada nas seguintes situações:

 

·        Grau elevado de osteoporose;

·        Fracturas;

·        Luxações;

·        Processos inflamatórios que são sentidos nas regiões do corpo avermelhada, quente e/ou inchada;

·        Na presença de febre;

·        Pessoas com cancro;

·        Portadores do HIV (nestes últimos dois casos pode acelerar o processo de desenvolvimento da doença).

 

 

CONCEITOS GERAIS:

 

Há vários aspectos a ter em consideração nesta modalidade de trabalho corporal, que passo a enunciar:

 

Conceito da unidade psicossomática:

 

De uma forma bastante sucinta, poder-se-á dizer que o ser humano é uma unidade psicossomática, isto é, o corpo físico numa unidade com o sistema emocional.

 

Revelação da massagem dos seis sentidos na relação profissional-cliente:

 

O corpo revela efectivamente a história da pessoa que o reveste, nomeadamente, através das posturas, da marcha, das tensões musculares, das regiões dolorosas do corpo, dos vícios gestuais, da morfologia do corpo em geral e do comportamento emocional. Para encontrar resposta a esta maneira de ser, é necessário descobrir sobretudo o código que nos predispõe ao contacto com o outro corpo, de forma a que a relação entre profissional e cliente configure um diálogo de energia subtil em consonância. Por conseguinte, as descrições das diferentes técnicas englobadas neste contexto têm como objectivo seguir um padrão de acompanhamento nas descobertas do prazer da massagem integral, ou seja, o prazer dos sentidos, tais como: - o prazer de entrar num ambiente diferente e observar literalmente a decoração da sala e o espaço da massagem; o prazer de ouvir uma boa música a condizer com a massagem e com o ambiente que o rodeia; o prazer da inalação das essências que nos despertam para uma viagem alucinante; o prazer do tacto de sentir o seu corpo a ser manipulado maravilhosamente pelo profissional; o prazer de saborear um bom chá de ervas aromáticas no final da sessão da massagem; e por fim o prazer incondicional de estar ali durante sensivelmente duas horas em estado tranquilo e meditativo, desenvolvendo ou aprimorando a percepção, na interligação dos seis sentidos, contemplando toda a maravilha que a massagem nos pode oferecer, atingindo o extase dos sentidos, ..., que se convertem na satisfação total do ser humano, como uma dádiva dos deuses.

 

Desta maneira, pode-se dizer com toda a convicção, que esta massagem é um tónico de prazer e felicidade, contribuindo para a unificação do espirito, da mente e do corpo. Uma tese oficialmente reconhecida é a unidade funcional entre a mente e o corpo: o que acontece na mente reflecte-se no corpo e vice-versa. Uma mente sã, espelha um corpo são. Um corpo belo é sinónimo de mente positiva, de emoções equilibradas e de uma estrutura corporal forte e saudável.

 

Energia hereditária segundo a teoria da MTC:

 

Segundo a teoria da Medicina Tradicional Chinesa, existem três tesouros de energia fundamentais a ter em consideração, são eles: o Jin, o Qi e o Shen:

 

A energia Jing é a energia que herdamos dos nossos pais e que se situa a nível dos rins. Há de facto pessoas que nascem com a energia Jing mais fraca que outras, todavia, embora seja uma energia fraca por natureza, se a conservarmos cuidadosamente poderemos seguramente ter uma vida longa e salutar, para isso, contribui uma alimentação equilibrada e uma higiene de vida saudável. A energia Jing que herdamos à nascença é aquela que nos acompanha durante toda a vida.

 

Numa fase senil da vida, começam a surgir de forma natural e progressiva os sinais degenerativos inerentes ao envelhecimento, como por exemplo, dentes que perdemos…, surgem os primeiros cabelos brancos …, a falta de memória, as rugas (pele flácida e fibrosada) …, tudo isto é sinónimo do envelhecimento. São sinais que nos indicam que a nossa energia Jing está a ficar cansada e esgotada. No entanto, através de tratamento adequado podemos estimular e equilibrar a energia dos rins para prevenir certos problemas.

 

Além do mais, na cultura chinesa, acredita-se que geneticamente os nossos órgãos são semelhantes aos dos nossos ancestrais, e portanto, podem trazer aptidões, ou fragilidades e dificuldades na sua manutenção e na relação com o organismo que incorporam. Por exemplo, não se recebe um tique nervoso por herança, existe sempre uma causa aparente; por outro lado, recebe-se uma musculatura semelhante e um sistema nervoso semelhante, com probabilidades virtuosas ou defeituosas. Existem de facto genes que se expressam mais ou menos intensamente conforme as vibrações das matrizes perispirituais estejam ou não comprometidas com algum problema. Quer dizer, se nas vidas anteriores há ligação com esta tendência, a carga genética expressa-se com mais intensidade. Além disso, reencarnamos no meio com que temos afinidade, o que significa histórias em comum no passado.

 

O Qi é a energia de todos os nossos movimentos, involuntários e voluntários, como por exemplo: o bater do nosso coração ou o deslocamento do nosso corpo de um lugar para o outro ou mesmo a assimilação dos alimentos. O Qi também tem como propriedade proteger o nosso corpo das doenças e mantém a nossa temperatura.

 

O Qi é criado no interior do nosso corpo através dos alimentos que ingerimos e digerimos através do estômago, do baço e do ar que inspiramos para os pulmões.

 

O Qi circula no nosso corpo através dos merídianos, se esta energia correr correctamente nos nossos merídianos o nosso corpo encontra-se em equilíbrio e em boa saúde (funcional). Ao invés, se essa energia bloquear devido porventura a problemas de stress emocional ou físico, ou alteração repentina de hábitos alimentares e ambientais, então poderá advir daí problemas de maior se efectivamente a situação se mantiver inalterada.

 

A energia Shen está ligada a tudo o que é espiritual. Esta energia está guardada no coração. Diz-se que o Shen é uma substância tão leve que necessita do sangue uma substância mais pesada para a manter no lugar (o Shen será a alma?). Se o sangue enfraquecer o Shen, este poderá ficar perturbado tornando essas pessoas  ansiosas, irritadiças, com falta de concentração e mesmo com dificuldade em adormecer, ficando a pessoa vulnerável ao surgimento de doenças cardio-vasculares e/ou acidentes vasculares cerebrais devido à congestão de energia no coração.

 

Personalidade do Ser Humano e as alterações de comportamento:

 

Tensões e regidez corporal contínua provocam a diminuição da energia vital do indivíduo. Por esse motivo, na maior parte das vezes, as tensões físicas são provenientes do stress da vida quotidiana, que supostamente advêm das preocupações, de pensamentos corruptos e consequentes. Os conflitos emocionais sistemáticos não resolvidos contabilizam o somatório das várias fases negativas da pessoa ao longo dos anos, que mais cedo ou mais tarde irá entrar em colapso emocional, originando a depressão “stress” (e em situações mais graves o surgimento do esgotamento cerebral), muitas vezes descrita pelo doente como uma situação sem saída, onde os pensamentos negativos (mórbidos) proliferam abundantemente na mente da pessoa, deixando-a num estado lastimável de extrema solidão, angústia e desânimo, à beira de um abismo. Por consequência, para estes doentes, por vezes a única saída é o suicídio. Um grau elevado de ansiedade pode ser um estado de extrema violência para a mente e por arrasto para o corpo, cujo corpo degradar-se-á perecivelmente de uma forma lenta e dolorosa. Certos estados de ansiedade levam o doente à hipocôndría, que inevitavelmente torna-se-ão um “código postal” para desenvolver certas doenças a médio ou longo prazo, sobejamente conhecidas como doenças psicossomáticas.

 

Portanto, o nosso modo de ser e as nossas predisposições relatam-nos sobremaneira a nossa história. Recuperar o corpo significa reconciliar-se com ele, sermos indulgentes, humildes e possuirmos amor altruista para com o nosso semelhante e nos congratularmos com a sua felicidade e bem-estar, e alhearmo-nos de atitudes autistas e de superioridade desprezando os outros. Todavia, isto não significa que sejamos demasiadamente passivos e que tenhamos de levar efectivamente uma vida monótona ou restrita em detrimento de uma vida regalada, num regime ideologicamente ortodoxo, sem emoções, nem tampouco dedicarmo-nos única e exclusivamente às modalidades mais próximas da natureza, como o Yôga, ou Tai Chi Chuan, ..., e nos privarmos dos prazeres da vida, como por exemplo, optarmos por um regime alimentar severo como o único caminho para a longevidade e saúde, que por vezes pode provocar situações antagónicas ao nosso bem-estar e à nossa saúde. Por meu turno, sou apologista de que o ser humano tem de ser livre, e contemplar as coisas boas da vida, como as iguarias e outros prazeres da vida, desde que, devidamente controlados e em função do equilíbrio, do bem-estar e da saúde. Por conseguinte, tem de existir um equilíbrio em tudo. Imaginemos se todas as pessoas tivessem as mesmas ideias, os mesmos gostos, as mesmas atitudes, as mesmas culturas, se estivessem de acordo em tudo, se não houvesse divergências … oh!! certamente não haveria emoção, objectividade, e por consequência o mundo não evoluía, e sua existência ficava em causa. Do mesmo modo, tem de existir o “bem” e o “mal” (positivo/negativo), para podermos crescer, para podermos distinguir o preto do branco. Efectivamente, tem de haver tristeza para poder haver alegria, tem de chover para fazer sol, tem de haver noite para poder haver dia, tem de haver doenças para ganharmos anticorpos e nos tornarmos resistentes, temos de chorar para sorrirmos, temos de sofrer e de trabalhar em algo para almejarmos e sentir que esse “sacrifício” foi gratificante, na actividade desportiva temos de treinar arduamente para atingirmos os nossos objectivos para o qual nos proposemos, enfim…., uma bateria só funciona com as duas polorizações opostas, negativa e positiva, é assim a vida, o yin e o yang. Acrescento ainda que, o que pode ser mau para o meu semelhante, pode ser bom para mim e/ou vice-versa, tudo depende do ponto de vista de cada um, e tudo é relativo e não existe nada em absoluto, por isso é que existem milhares de teorias religiosas, cada um apresentando a sua versão dos factos, a sua teoria, enfim…. Assim, o correcto é respeitar a vontade e a cultura de cada povo, de cada pessoa, e evitar ferir susceptibilidades, porque ninguém é dono da sabedoria. Portanto, tudo o que vai para além do limite ou fora dos parâmetros legais da boa relação humana com o ambiente e com o nosso semelhante, prejudica-nos sobremaneira. É de primordial importância que a pessoa aprenda a gostar de si próprio, ter prazer e gosto por si mesma, olhar um pouco para o seu “ego” como um ser original e especial. Para isso, é fundamental e imperativo que enverede pelo caminho que o seu coração apraz. Cada povo tem a sua identidade e os seus costumes. Desde que tenhamos uma alimentação equilibrada e saúdável, evitaremos dessa forma contrair certas doenças que supostamente são mais propensas a emergir por desequilíbrio alimentar, se por sistema, alimentarmo-nos à base de carne em detrimento de peixe, por exemplo. Por vezes, não é o que se come, mas quando e como se come; ilustro como exemplo, uma pessoa com insónias, a causa pode eventualmente estar associado a erros alimentares, num caso particular, as pessoas que acordam por volta das duas da madrugada e adormecem uma ou duas horas mais tarde. Esta situação pode dever-se a um exagero da refeição da noite, como um prato completo com carne e acompanhamento, ingerido entre as 19h e as 20h, seis horas mais tarde, o fígado entra em actividade, e recebe as toxinas que tem de neutralizar. Não obstante o fígado ser um dos órgãos mais complexos e importantes do nosso organismo, que executa várias funções metabólicas e reguladoras, infelizmente ele é incapaz de exercer a sua função durante o sono, e, por consequência, obriga a pessoa que está a dormir a acordar. As misturas de hidratos de carbono, como massa com arroz, feijão, grão, gorduras saturadas, etc., contribuem para a obesidade, e por seu turno para uma deficiente qualidade de vida, evidenciando uma imagem fisica pouco salutar.

 

Na perpectiva ocidental e no confronto numa avaliação concernente a situações específicas, concluiu-se que não é só nos vegetais que está o segredo da longevidade. Ademais, a proteína animal é imprescindível ao bom desenvolvimento da criança, e em particular o leite e seus derivados. Dou como exemplo, a clara do ovo, que é um dos alimentos proteícos mais completos que temos na nossa alimentação, os peixes gordos, como o salmão, atum, sardinha, entre outros, são riquíssimos em bom colesterol (HDL), gorduras polinsaturadas, que fazem falta ao nosso organismo para protecção do sistema circulatório e essencialmente das artérias sanguíneas. Para concluir este raciocínio, posso opinar que todos os alimentos são bons, desde que consumidos moderadamente e de forma clivada, e no meu entender, devemos dar graças a Deus por os termos à nossa mesa. Na minha opinião, o fraccionamento das refeições ao longo do dia é de primordial importância e contribue para o equilíbrio do nosso organismo, porém, já existem novos estudos e novas evidências que indicam o contrário, ou seja, que não se deve fraccionar em demasia as refeições, e portanto não se deve comer mais que três refeições diárias (pequeno almoço, almoço e jantar).

 

Por conseguinte, voltando ao objectivo deste artigo, que é dar a conhecer esta modalidade de massagem, que em conformidade com a ética profissional e o desenvolvimento técnico preciso e específico de trabalhar o corpo, é antes de mais, uma prerrogativa de pessoas especializadas para o efeito, que realizam tarefas de carácter estritamente terapêutico, vocacionadas para o trabalho de estética corporal, como moldar o corpo; untando-o com produtos naturais terapêuticos, quer em objecto da profiláxia psico-corporal, quer em objecto de obtenção de uma simetria estrutural o mais próxima possível das curvaturas fisiológicas, a fim do corpo reflectir  uma boa estética corporal ou se quiserem uma boa imagem exterior, não esquecendo também a função dos lubrificantes que contribuem para uma acção rejuvenescedora da textura da pele e a aprimora com os seus efeitos sedativos, relaxantes e tonificantes.

 

TRABALHO DE MASSAGEM  DESPORTIVA POR FASES, COM VISTA A ATLETAS DE COMPETIÇÃO

 

1ª FASE – BANHO DE ESPUMA DE SABÃO com água à temperatura ambiente

 

2ª FASE – BANHO DE ESPUMA DE SABÃO com água fria (Verão), água tépida (Inverno)

 

3ª FASE – BANHO DE ESPUMA DE SABÃO com água quente (Verão)

 

4ª FASE – MASSAGEM DE GELO

 

5ª FASE – MASSAGEM DE ÓLEO NEUTRO, OU DE ESSÊNCIAS para hidratação, e/ou fins terapêuticos

 

MASSAGEM  DE ÓLEO AQUECIDO

 

1 – Óleo de base + essências, ou um preparado com óleo base e essências

 

2 – Lamparina para aquecer o óleo

 

Função dos quatro elementos e sua correspondência com o organismo humano:

 

Terra (DIN) se corresponde com as partes duras do corpo: ossos, músculos, vísceras, nervos e vasos sanguíneos. Este elemento se relaciona com a estabilidade e a prudência (amadurecimento).

 

Água (NAAM) se corresponde com as partes líquidas do corpo, nomeadamente, o sangue e o resto dos fluídos corporais e secreções. Este elemento relaciona-se com a força e a adaptabilidade.

 

Fogo (FAI) se corresponde com os mecanismos que regulam a temperatura corporal, a digestão e o metabolismo. Este elemento determina o intelecto, a alegria e a energia sexual.

 

Ar (LOM) se corresponde com as funções da respiração e circulação sanguínea. Este elemento se relaciona com o estado de ânimo.

 

A teoria energética entende a saúde como o equilíbrio entre os quatro elementos, e estabelece as causas que os podem alterar, nomeadamente:

 

Ø      O funcionamento incorrecto de alguns dos elementos

Ø      Uma troca ou mudança nas estações do ano

Ø      Uma troca ou mudança do ciclo vital

Ø      Uma alteração do ciclo quotidiano da pessoa

Ø      Uma troca ou mudança climática

Ø      Outras situações que ponham em causa o equilíbrio emocional da pessoa e que possam aluir a sua estabilidade

 

Por outro lado, a alimentação, o meio ambiente, o estilo de vida, o estado emocional e os aspectos psicossociais são factores essenciais para manter de forma equilibrada e congruente os quatro elementos.

 

Por consequência, o desequilíbrio dos quatro elementos produz um bloqueio das denominadas linhas SEN, conhecidos por trajectos que seguem os fluxos energéticos entre os distintos pontos do nosso corpo (à semelhança dos merídianos da acupunctura). Embora se reconheçam 72.000 linhas energéticas, segundo a Escola de Medicina Tradicional Tailandesa de WAT PO ‘Tailândia’, a massagem tailandesa se centra única e exclusivamente sobre dez linhas principais, designadas por:

 

  1.  Gala Taree
  2.  Junthapusunk
  3.  Ruchum
  4.  Itha
  5.  Pingkala
  6.  Sahutsarungsi
  7.  Tavaree
  8.  Sumana
  9.  Sikinee

10.  Sukumung

 

Pelas linhas SEN circula o fluxo de energia vital. Se porventura esta energia não circular correctamente devido efectivamente a um bloqueio energético, provocado pelos vários factores suprareferenciados, originar-se-á a médio ou longo prazo uma enfermidade ou dor, física, mental ou emocional. A sociedade actual influencia negativamente muitos factores que determinam bloqueios energéticos, tornando-nos mais vulneráveis ao desequilíbrio, e por consequência, a provocação da enfermidade. A massagem tailandesa tem aqui um papel preponderante e fundamental na desobstrução das linhas energéticas para promover o fluxo energético, a fim de recuperar a saúde original.

 

Porém, de modo similar a outras técnicas orientais de carácter energético, uma das principais dificuldades na aprendizagem da massagem tailandesa é a assimilação dos conceitos na perspectiva oriental, que vulgarmente o formando prescindi do conhecimento e da matéria subtil «como ver para crer» vacilando na fé das técnicas energéticas. Conforme podemos constatar no contexto da Medicina Tradicional Tailandesa, não se trata porém de uma fé cega, e/ou incondicional. Embora a existência dos canais energéticos não estejam demonstrados cientificamente, a resposta positiva sobre a sua estimulação está inequivocamente há muito comprovada.

 

No entanto, existe também uma energia extrínseca de calor humano, conhecido por ‘Amor Altruista’. A saúde integral do ser humano reside no amor ao seu semelhante, que é indubitavelmente o melhor dom que a pessoa humana pode adquirir, porquanto, sem amor, não existe o dom da cura, da sensibilidade, da humanidade,… e por consequência, o tratamento não é correspondido tornando-se infrutífero.

 

A massagem tailandesa se denomina «meditação em movimento», devido a influências budistas. Sua prática é considerada uma forma de meditação, tanto para o profissional como para o cliente. Por isso, é que existe um ritual de cura sagrada no início e no final da sessão.

 

Segundo a Medicina Tradicional Tailandesa, existem quatro estados divinos, que têm de estar presentes na mente do profissional, são eles:

 

v     METTA, que significa bondade afectuosa, isto é, amor incondicional por todos os seres

v     KARUNA, ou compaixão, define-se também por piedade por aqueles que sofrem, o objectivo é aliviar o sofrimento desses seres

v     MUDITA, significa gozo benévolo, alegria espontânea como resposta à alegria do nosso próximo, isto é, sem demagogia, sem hipócrisia, sem cobiça e sem inveja

v     UPEKKA, igualdade no juízo, imparcialidade, equidade, compreender a verdadeira natureza das coisas e do ser humano. E quando se exige compreender o ser humano, é compreendê-lo verdadeiramente no sentido da palavra, e não condená-lo de forma incondicional e veemente

 

Um terapeuta de Massagem Tailandesa tem efectivamente de considerar estes aspectos, porque sem eles, jamais existirá êxito na massagem e por consequência o tratamento profiláctico será nulo. De facto, nesta técnica adquire-se uma experiência gratificante tanto para o cliente como para o profissional.

 

Óleos a utilizar na massagem tailandesa aromática, seus efeitos e finalidade terapêuticas:

 

Há mais de 4.000 anos que os óleos se utilizam como uma substância relaxante. No antigo Egipto as essências aromáticas tinham idêntico valor ao ouro e especiarias. Na antiga Roma usavam-se óleos como replentes de insectos, lubrificantes, bacterícidas e purificadores do ar. Ademais o odor dos óleos essenciais influenciam directamente o estado de ânimo da pessoa.

 

O olfacto está conectado com o sistema límbico, que é uma parte do cérebro incumbida de controlar as emoções e possue importantes funções relacionadas com a memória. Por estes motivos, os odores dos óleos podem proporcionar ao cliente uma disposição anímica que favoreça a finalidade da massagem tailandesa de óleo.

 

Além de relaxar, os efeitos dos óleos são múltiplos, e variam em função do óleo seleccionado para um determinado efeito. Nessa medida, existem óleos hidratantes, relaxantes, tonificantes, descongestionantes, bacterícidas, lubrificantes, e por aí fora…

 

Os óleos aplicam-se através de banhos, por inalação, por difusão, por ingestão, por compressas impregnadas, etc.. A massagem é um dos mecanismos de aplicação, sendo a fricção uma técnica a considerar dada a sua fácil penetração (óleo) através da pele.

 

Utilizam-se dois tipos distintos de óleo, para aplicar na massagem tailandesa aromática:

 

*      Óleo base (neutro - tem uma composição 100% natural - vegetal, os mais usados são o óleo de Almendra, Coco, Girassol ou Sésamo)

*      Óleo de essências – aromático (Composto por uma mescla de óleo base e essência pura. Normalmente, a proporção da mescla é de uma gota de essência por cada 2ml de óleo base. As suas propriedades específicas dependem contudo das essências puras empregadas)

 

Bergomota:

§         Aplicações estéticas:

·        Equilibrante da secreção gorda da pele

·        Desodorizante natural

§         Aplicações terapêuticas:

·        Infecções respiratórias

·        Asma

·        Bronquites

·        Úlceras

·        Depressão

·        Ansiedade

 

Camomila:

§         Aplicações estéticas:

·        Calmante, para irritações da pele

·        Facilitador nos tratamentos adelgaçantes

§         Aplicações terapêuticas:

·        Digestivo

·        Anti-inflamatório

·        Anti-séptico

·        Diurético

 

Cedro:

§         Aplicações estéticas:

·        Equilibrante da secreção sebácea

§         Aplicações terapêuticas:

·        Anti-séptico

·        Diurético

 

Gerânio:

§         Aplicações estéticas:

·        Anti-rugas

·        Anti-celulítico

§         Aplicações terapêuticas:

·        Analgésico

·        Anti-séptico

·        Diurético

·        Anti-fúngico

·        Terapêutico hormonal

·        Anti-depressivo

 

Gengíbre:

§         Aplicações estéticas:

·        Tonificante

§         Aplicações terapêuticas:

·        Analgésico

·        Anti-pirético

·        Estimulante

·        Anti-séptico

·        Anti-inflamatório

 

Lavanda:

§         Aplicações estéticas:

·        Regeneradora cutânea

·        Anti-acne

·        Reafirmante

§         Aplicações terapêuticas:

·        Analgésica

·        Anti-séptica

·        Anti-espasmódica

·        Cicatrizante

·        Relaxante

 

Menta:

§         Aplicações estéticas:

·        Humedecante

·        Tonificante

·        Anti-envelhecimento

·        Facilitadora dos tratamentos de drenagem linfática manual

§         Aplicações terapêuticas:

·        Analgésica

·        Anti-séptica

·        Anti-espasmódica

·        Estimulante da circulação sanguínea e linfática

·        Estimulante geral do organismo

 

Romero:

§         Aplicações estéticas:

·        Anti-acne

·        Anti-celulítico

·        Tonificante

§         Aplicações terapêuticas:

·        Analgésico

·        Anti-séptico

·        Anti-reumático

·        Anti-espasmódico

·        Estimulante da circulação sanguínea e linfática

·        Cicatrizante

 

Rosa:

§         Aplicações estéticas:

·        Hidratante

·        Anti-envelhecimento

§         Aplicações terapêuticas:

·        Analgésica

·        Anti-depressiva

·        Anti-séptica

·        Anti-espasmódica

·        Estimulante da circulação sanguínea e linfática

·        Sedante

 

Conclusão e opinião pessoal:

 

Resumindo e concluindo, asseguro que quando experimentarem esta técnica jamais a esquecerão, e seguramente irão beneficiar com ela a todos os níveis, nomeadamente, físicos, energéticos e espirituais. Adjectivamente é uma técnica com características muito próprias e muito abrangente, posso mesmo classificá-la como a massagem dos seis sentidos, porquanto, desperta os cinco sentidos do ser humano e o sentido da percepção, conhecido como o 6º sentido.

 

 

Texto de:

 

Carlos Manuel Meneses Vaz – Personal Trainer e Quiroterapeuta.

 

 Lisboa, 29 de Novembro de 2008

 

 

 

PREÇÁRIO:

            
A R T I G O

MASSAGEM TRADICIONAL TAILANDESA

(N U A D   B O – R A N)

E

THAI BODY WORK

  

A massagem é uma das técnicas mais antigas da história da humanidade na arte do relaxamento e da cura pelos seus métodos manuais. Por conseguinte, as pessoas procuram o massagista, terapeuta de trabalho corporal, não só para o prazer e bem estar que encontram na massagem, mas também, em objecto da resolução de problemas que afectam principalmente toda a estrutura de locomoção, que por sua vez irá provocar um deficiente funcionamento no sistema nervoso central. Os problemas que mais se destacam, são nomeadamente, as sobejamente conhecidas contracturas e tensões musculares provocadas por stress; problemas da coluna vertebral originados pelo desequilíbrio postural, devido a má postura prolongada, a posturas profissionais inadequadas, a gestos técnicos do desporto da alta-competição e também a problemas emocionais. Foi com esse objectivo que enveredei pela terapia manual, interessando-me também pelo estudo sobre a cinesiologia do movimento, a anatomia do sistema de locomoção, e as mais diversas vertentes de massagens e formas de manipulação. Assim, com este aglomerado de conhecimentos e de técnicas, fundi, ou melhor, extraí o que de melhor existe nelas, e criei um método peculiar de trabalhar o corpo, visando imperativamente a terapêutica, aliando-a com o relaxamento, isto é (explicando de uma forma mais clara), juntei o útil ao agradável; enquanto a pessoa relaxa é manipulada “no bom sentido da palavra” de uma forma súbtil. Portanto, o meu trabalho centraliza-se não só nos alongamentos, tracção da coluna vertebral e movimento das articulações, como também, no desbloqueio das linhas SEN (canais da energia súbtil). Na primeira sessão da terapia ensino o paciente a respirar e induzo-o ao relaxamento, depois deste passo de primordial importância, dou início ao trabalho de reequilibro da energia súbtil, desobstruindo os canais energéticos por onde passa a energia, para depois, já numa fase posterior após algumas sessões, proceder à correcção estrutural, visando reduzir as assimetrias da estrutura mecânica, que origina as tão conhecidas patologias (que numa fase preliminar podem ser assintomáticas) da coluna vertebral, a saber: - escoliose, hiperlordose cervical, hperlordose lombar e a hipercifose dorsal. Pode ainda fazer parte da terapêutica o trabalho de facilitação proprioceptiva, o trabalho de energia muscular, nomeadamente, a contracção isotónica e isólitica, e também a liberação miofascial. Por meu turno, penso ser esta uma forma relaxante de trabalho terapêutico muito completo e eficaz no tratamento do corpo. Todo este trabalho técnico foi inspirado nos exercícios e  massagens orientais, designadamente, na massagem Ayurvédica, na Massagem Thai, na Tuina, no Shiatsu, no Chi Kung, na Reflexologia, na Massagem Breuss e manipulação Dorn, no Reiki, na Massagem Desportiva de características orientais, e em outras técnicas ocidentais de manipulação. O meu objectivo principal é visualizar a pessoa como um todo, isto é, de forma holística (mente, espirito e corpo) e, por conseguinte, reequilibrar suas emoções, sua energia súbtil, e sua estrutura de locomoção, porquanto, uma pessoa com assimetrias na sua estrutura, e com problemas emocionais, nunca poderá sentir-se feliz e realizada, na medida em que, esse desequilíbrio reflectir-se-á no deficiente desempenho dos órgãos e vísceras enervados pelas raízes nervosas que saem da coluna vertebral, e a disfunção muscular faz com que essas ramificações nervosas sejam obstruídas pelo mau posicionamento e deslocamento das vértebras que por seu turno irão obstruir a passagem da raíz nervosa; não obstante, o músculo que puxa as vértebras para um dos lados, provoca o estiramento involuntário do músculo contrário, e a consequente dor por hiperextensão mantida; por exemplo, entre o músculo Piriforme que faz a rotação externa da anca, e que se insere medialmente no sacro e lateralmente no grande trocanter do fémur, passa o Nervo Ciático (no forame isquiático), se porventura houver uma rotação da pélvis devido a assimetria nessa região, isto é, o músculo Piriforme de um lado encontra-se encurtado, enquanto o seu congénere do lado contrário encontra-se laxo, todavia sobre forte tensão por extensão mantida, o músculo de que falamos primeiro (encurtado), irá certamente provocar a rotação da pélvis para o seu lado (do músculo encurtado) e, com efeito, obstruir o nervo ciático, que tem por função enervar o membro inferior correspondente. Ora, nesta situação a pessoa terá dor ciática, e obviamente movimentar-se-á incorrectamente, isto irá suscitar a médio e longo prazo desequilibrios significativos em toda a estrutura corporal, com a agravante, de que a própria fisiologia estrutural, encarregar-se-á de proceder às consequentes compensações, originando problemas secundários, que mais tarde transformar-se-ão em lesões secundárias de compensação. Outro exemplo, são: a escoliose, a hipercifose e a hiperlordose, que, se acentuadas, não só provocarão o mau funcionamento do organismo, como também disforma esteticamente a pessoa; um dos músculos mais importantes da postura é o Iliopsoas, que faz a flexão da anca, e se insere proximalmente na 12ª vértebra torácica e vértebras lombares, e distalmente no pequeno trocanter do fémur, este músculo quando encurtado provoca a hiperlordose lombar, normalmente está também associado a esta disformidade os músculos abdominais fracos. O músculo Recto Femural, como se insere proximalmente na espinha íliaca antero-superior, quando encurtado, desloca o Iliaco anteriormente, contribuindo assim para aumentar a lordose lombar. Um pormenor importante para obedecer ao padrão postural, e que a maioria das pessoas desconhece, é o músculo diafragma encurtado que pode estar associado não só a problemas emocionais, como também, a uma deficiente respiração (curta), o que irá contribuir sobremaneira para o encolhimento da região anterior do tórax, e originar a hipercifose dorsal. Isto para dizer que, se trabalharmos esteticamente o nosso corpo, estamos simultaneamente a contribuir para a beleza interna (órgãos e vísceras) e externa do nosso organismo (uniformidade na posição anatómica dos óssos, articulações e músculos). Outro exemplo, é o facto dos músculos peitorais encurtados junto com o deltóide anterior também encurtado, contribuirem para a anteriorização e rotação medial dos ombros e para a hipercifose dorsal. Depois também ficamos muito mais flexíveis, com um aspecto físico mais robusto e salutar, isto é deveras positivo.

 

O trabalho corporal, método Thai, precedido de uma massagem tradicional tailandesa, é indubitavelmente a forma mais equilibrada e eficaz que conheço para promover a estética corporal.

 

Segundo a história da Medicina Tradicional Tailandesa, a Massagem Tradicional Tailandesa é uma das modalidades mais antigas de cura do mundo. A sua origem é tão controversa quanto a do povo tailandês, no entanto, consta-se que teve origem na Índia, durante a existência de Buda, há cerca de 2.500 anos atrás, foi criada por Jivaka Kumar Bhaccha, também conhecido por Shivago Komaphaj, um contemporâneo de Buda e seu médico pessoal e também médico do então Rei da Índia, daí a grande influência da meditação sobre esta técnica de massagem. Todavia, há cerca de mil anos que a Massagem Tailandesa se aplica na sua forma actual. Isto significa que esta técnica tem evoluído ao longo dos tempos. Faz parte do conjunto de técnicas de manipulação corporal oriental e baseia-se na corrente de energia intrínseca e na teoria do equilíbrio da energia, promovendo a saúde, a cura e claro está a “qualidade de vida”, ou o "bem-estar". Esta técnica é indubitavelmente uma das formas de relaxamento físico, mental e espiritual mais precisas e eficazes que conheço. A massagem tailandesa se fundamenta na energia subtil, e sua aplicação incide nas pressões, torções e alongamentos sobre as linhas SEN (semelhante aos merídianos da acupunctura, ou os nadis da ayurvédica), conhecidos por canais energéticos, com o objectivo de equilibrar a energia corporal, e assim, manter a saúde física e mental. A Massagem Tailandesa completa-se com os estiramentos de diferentes grupos musculares, alongamentos e torções em posturas que imitam as asanas do Yoga. Os pontos de pressão são similares aos nadis da Ayurveda e aos meridianos da Acupunctura. As ferramentas utilizadas na manipulação são as mãos e sobretudo as palmas e polegares, os antebraços, os cotovelos, os pés, a região anterior das pernas, os joelhos e as nádegas.

 

Por conseguinte, as linhas SEN relacionam-se com a energia súbtil; os estiramentos, alongamentos musculares, mobilizações articulares e interacção massajado e massagista relacionam-se com o corpo físico; as asanas (posturas do Yoga) e a co-relação da meditação do massajado e terapêuta relaciona-se com o espirito do Yoga. São estas as três formas que completam a Massagem Thai, a saber: Matéria – Energia – Espirito.

 

A Massagem Tailandesa é conhecida por diferentes denominações: Nuad Bo-Ran, Massagem Thai, Massagem Thai Yoga, Jap Sen, Meditação em Movimento ou Thai Massage. No entanto, devido às influências do Yôga na criação desta técnica, a Massagem Tradicional Tailandesa denomina-se também Massagem Yóguico. Particularmente prefiro designá-la de Nuad Bo-Ran, ou Massagem Tradicional Tailandesa, na medida em que, esta técnica foi desenvolvida não só pela influência do Yoga, mas também, proveio da Massagem Chinesa (Tuina) e da Massagem Ayurvédica, talvez pelo facto da Tailândia se localizar na rota comercial entre a Índia e a China, que, por consequência resultou em inúmeras influências culturais e religiosas, particularmente o budismo que floresceu entre os antigos habitantes desta área. Um templo sobejamente conhecido pelo mundo espiritual budista, orientado e frequentado pelos monges budistas é o templo de Wat Pho, localizado em Bangkok na Tailândia.

 

A palavra tailandesa NUAD, significa «tocar com a intensão de aliviar a dor», Bo-Ran pode ser traduzido como algo sagrado, antigo ou venerado. Assim desta forma, pode-se traduzir a Massagem Tailandesa (NUAD BO-RAN) como CURA SAGRADA. Prova disso, é que a Massagem Tailandesa faz parte da Medicina Tradicional Tailandesa, que se baseia nas energias corporais, enquanto a Medicina Ocidental baseia-se na anatomia humana. Por isso, é que um médico de Medicina Tradicional Tailandesa realiza um trabalho energético em detrimento do trabalho da estrutura física, ou corporal. A medicina tailandesa se compõe de quatro ramos terapêuticos, designadamente: fitoterapia, dietética e nutrição, práticas espirituais e técnicas manuais, e dentro dessas técnicas manuais, estão a Massagem Tradicional Tailandesa, a Massagem Tailandesa de Óleo e a Massagem Tailandesa dos Pés. À semelhança de outras técnicas asiáticas, a massagem tailandesa fundamenta-se na teoria energética, segundo a qual existem uns fluxos de energia entre pontos específicos do corpo, compostos por ALMA e os 4 elementos: TERRA, ÁGUA, FOGO e AR. A Medicina Tradicional Chinesa responde com 5 elementos, com a seguinte ordem de evolução: a MADEIRA dá origem ao FOGO, o FOGO dá origem à TERRA, a TERRA dá origem ao METAL, e o METAL origina a ÁGUA, e a teoria do equilíbrio do Yin e do Yang.

 

A Massagem Tradicional Tailandesa, pode-se considerar como um método preguiçoso de trabalhar o corpo passivamente à semelhança do Yoga. Este método muito completo contempla a acção de toda a estrutura corporal de uma forma salutar, reunindo a interacção das três componentes: Físico – Energia – Espírito, contribuindo assim para o rejuvenescimento da pessoa, dando-lhe auto-estima, auto-confiança, alegria, paz de espírito, uniformizando também a estrutura corporal de uma forma consciente, diminuindo progressivamente as assimetrias corporais sobretudo da coluna vertebral que é o pilar do corpo, restabelecendo o equilíbrio e o relacionamento operacional do sistema nervoso com as vísceras e com os demais órgãos por eles enervados, porquanto, os músculos atrofiam-se quer por desuso, quer por má postura, quer ainda por stress quer por lesões profissionais e desportivas. Os músculos ficam tensos e encurtam, podendo criar forças assimétricas na coluna vertebral, contentor importantíssimo da Espinal Medula, que a médio e/ou longo prazo provocará dores nas costas, no pescoço e na cabeça (cefaleias) (reiterando o frisado anteriormente), além de afectarem negativamente as vísceras e os órgãos enervados pelas respectivas ramificações nervosas ora afectadas. Ora, o stress é um problema do nosso cotidiano que pode afectar negativamente as fáscias que envolvem cada célula muscular, cada fibra muscular e cada músculo, originando porém, pontos de gatilho que por seu turno poderá suscitar o encurtamento muscular crónico. Os músculos que estão tensos, mesmo nos momentos em que não os contraímos conscientemente, são sinónimo de fadiga dinâmica, ou tensão acumulada, por excesso de exercício físico, ou pelo contrário, por utilização insuficiente ou deficiente, ou ainda devido a tensão emocional. Seja qual for a causa, o resultado final será um movimento progressivamente mais restrito, iniciando-se o consequente endurecimento muscular e articular, dores localizadas, sendo estes sintomas característicos do processo de envelhecimento precoce.

 

Resumindo, a Thai Massage é uma manipulação interactiva do corpo, que usa o alongamento passivo, o movimento articular passivo e a gentil pressão nos pontos ao longo das linhas de energia. Com efeito, estes movimentos de interacção auxiliam no reajustamento da estrutura óssea, no aumento significativo da flexibilidade, no alivio de tensões articulares e musculares, na estimulação dos órgãos internos, e no alívio do stress, tensão física, mental e emocional. Para aplicar esta técnica é preciso mestria, e principalmente ter muitos conhecimentos de anatomia e fisiologia do movimento. Uma sessão de massagem tailandesa pode durar entre 90 a 180 minutos (no entanto, se aplicássemos todas as técnicas duraria mais que 6 horas), tempo suficiente para facilitar um senso de unidade e equilíbrio, criando uma experiência física dinâmica e interactiva que integra o corpo, mente, emoções e espírito.

 

Por meu turno, mantendo toda a originalidade da Massagem Tradicional Tailandesa, inclui como um complemento importante e imprescindível nesta técnica, a manipulação na redução de restrições ósteo-articulares, e o Thai Body Work (método Thai de trabalhar o corpo), no sentido de mobilizar as articulações, liberar restrições fasciais e corrigir assimetrias, facilitando o correcto movimento e estabelecendo a postura fisiológica original. Portanto, utilizo esta técnica como uma ferramenta importante e indespensável ao meu trabalho, e tenho-a como uma mais valia, tanto para mim como terapeuta, como para quem recebe esta massagem.

 

 

A R T I G O

Reflexologia Podal

Apresentação:

 

Meu nome é Carlos Vaz, escrevi este artigo na qualidade de formador da ANEP, designadamente nas modalidades de Reflexologia Podal, Nuad Bo Ran, Massagem Desportiva e Stretching Oriental. Sou terapeuta de manipulação manual em tecidos moles e Personal Trainer de modalidades inerentes a desportos de combate e ginástica aplicada aos mesmos.

 

Agradecimentos:

 

Em primeiro lugar quero dedicar este artigo à minha professora de Drenagem Linfática Manual, Carolina Pontes, pessoa que admiro e considero como uma grande Senhora, dotada incontestável de grandes conhecimentos, principalmente no campo da estética e da saúde. Agradeço-lhe o convite que me levou a elaborar este artigo no âmbito da Reflexologia enquanto terapia holística, e também agradecer-lhe a oportunidade que me dá de expressar desta forma os meus conhecimentos sobre a matéria, publicitar a minha formação e experiência profissional sobre esta arte de massagem e manipulação dos pés, que é a Reflexologia Podal, e obviamente dar-me a conhecer por este meio de comunicação às profissionais de estética deste país.

 

Quero também agradecer com um carinho especial à Drª Sónia Sousa Alain, pelo trabalho que teve na publicação deste artigo, e também como não podia deixar de salientar, a minha admiração pela sua simpatia como pessoa e  pela sua disponibilidade incondicional com que abraçou este projecto, e sem ela, seguramente o artigo não era emitido.

 

O que é a Reflexologia:

 

A reflexologia é uma terapia holística que tem como objectivo tratar um indíviduo como um todo, tratar o corpo na sua totalidade, empenhando-se em chegar á causa ..., à raíz da doença, anulando-a, e não aos sintomas. À semelhança de outras terapias complementares similares, a Reflexologia difere dos tratamentos convencionais, designadamente da medicina alopática, pelo facto já reiterado, de não tratar directamente os sintomas, mas sim avaliar pormenorizadamente a causa desse sintoma, e processar ao tratamento da raíz do problema, que não é nem mais nem menos do que a causa principal, ou causa primária que gerou a ora situação sintomatológica (lesão secundária).

 

Entre as técnicas complementares mais apetecíveis e aliciantes pela comunidade geral, destaca-se também a Reflexologia, que é indubitavelmente uma das terapias, se quizer, complementares com mais projecção, aos olhos da comunidade médica e científica, logo atrás, e nalguns países a par das modalidades terapeuticas sobejamente conhecidas por: Osteopatia, Chiropractic, Homeopatia, Fitoterapia e Acupunctura.

 

Numa perspectiva holística, esta técnica tem como finalidade conseguir um equilíbrio corporal, mental e emocional. São de facto três componentes indissociáveis no ser humano, e que de certa forma perdem a capacidade de manter o equilíbrio, devido aos mais diversos factores quotidianos e humanos.

 

A reflexologia plantar é uma forma particular de massagem que permite, atravéz de uma série de estimulações e pressões efectuadas em certas zonas precisas do pé, descobrir o estado de saúde, exercer uma acção de prevenção, relaxamento e intervir nos eventuais transtornos do organismo humano.

 

Essas zonas são chamadas “zonas – reflexas”, porque correspondem, por reflexo a todos os órgãos do corpo. Através da reflexologia é possível agir sobre o corpo inteiro com o objectivo de equilibrar e fortalecer o organismo, estabelecendo o equilíbrio energético, contribuindo assim para a cura dos órgãos em desequilíbrio ou em disfunção.

 

O equilíbrio energético:

 

Por outras palavras, o equilíbrio energético é o bem estar, é o estado de saúde de cada um de nós. O mau funcionamento desta energia que nos percorre e anima (que uns lhe dão o nome de alma, outros denominam esta energia de espirito, e outros chamam-na de fôlego da vida, e outros colocam esta energia como vinda do universo-energia vital), coloca em risco o nosso estado de saúde e o bem-estar, e é caracterizado por uma interrupção ou diminuição da circulação dessa mesma energia no corpo. Esta paragem ou abrandamento da circulação energética, pode surgir por diversas causas, nomeadamente, físicas, emocionais e/ou psicológicas, ambientais, nutricionais e também alteração do circuito quotidiano, como por exemplo: alteração súbita de hábitos alimentares, de hábitos ambientais, alteração do comportamento emocional, etc.. Esta poderá ser a raiz do processo patalógico que a maior parte das vezes, se não houver um restabelecimento rápido e eficaz, conduz à doença e ao mal estar.

 

Efeitos da Reflexologia:

 

A massagem das zonas reflexas vai permitir (re)equilibrar esta energia e devolver ao corpo a faculdade de auto-regulação, ou seja, o seu dinamismo positivo, através do bom funcionamento da homeostasia corporal. Ela acelera a eliminação das toxinas, ajuda a normalizar o sistema imunitário, hormonal e nervoso, age sobre o sistema digestivo e é um excelente fármaco contra os estados depressivos, tensão nervosa e o cansaço crónico.

 

Origem da Reflexologia:

 

Trata-se de uma técnica com milénios de antiguidade. A lenda conta-nos que teve origem no Extremo Oriente. Os primeiros dados históricos credíveis sobre a reflexologia encontram-se numa pintura mural encontrada no túmulo do médico egípcio Ankamador, em Saqqarat (Egito) que remonta ao ano 2330 A.C..

 

O pictograma mostrava de forma esclarecedora a imagem de dois homens de pele escura a “trabalhar” os pés de dois homens de pele mais branca. Os eruditos nestas áreas são unânimes em afirmar que nesta pintura está claramente ilustrada a aplicação da massagem reflexológica nos pés e nas mãos. Eu, por meu turno, se me é permitido dizer, tenho uma perspectiva mais panorâmica da ilustração, e conseguinte, uma opinião muito própria, porquanto, todos sabemos que naquele tempo existia a escravatura, e nesse sentido, podia dar-se o caso desses dois “massagistas” de cor negra, estarem simplesmente a fazer uma massagem aos pés, sem qualquer consciência dos pontos de energia reflexológicos. Portanto, na minha modesta opinião, ao contrário dos eruditos nesta matéria, presumo que será arriscado deduzir que este tipo de cura nasceu na zona Mediterrânea, para difundir-se, de seguida, seguindo as migrações dos egípcios, a outras partes do Mundo.

 

Existe também a teoria que a reflexologia terá sido transmitida pelos Incas aos Índios americanos.

 

Sabe-se no entanto, que os chineses estavam mais evoluídos nesta terapia que os ocidentais, esta é a verdade. Por este motivo, existem poucas dúvidas que a reflexologia tenha uma ligação forte com a acupunctura, por isso, há quem apresente este facto como um dogma, afirmando que a Reflexologia  nasceu a par da acupunctura, a qual sou da mesma opinião, na medida em que, os merídianos da acunpunctura, a teoria dos cinco elementos e a teoria do ying e do yang, tiveram origem na comunidade chinesa. Portanto, tudo indica que a Reflexologia nasceu na China.

 

A razão pela qual nos leva, e a mim em particular, a pensar que a Reflexologia teve origem nas China, fundamenta-se no seguinte: - ambas são consideradas terapias de meridianos propondo que as linhas de energia liguem as mãos e os pés a diversas partes do corpo. Todavia, como a acupunctura foi ganhando mais implantação no Oriente, a reflexologia ficou esquecida e foi desprezada, e assim, deu asas para que outros povos a cobiçassem.

 

O nascimento da Reflexologia Ocidental:

 

Porém, mais tarde, a reflexologia terá vindo para o Ocidente nos finais de séc. XIX e princípios do séc. XX. Os alemães começaram no fim da década 1890 e inícios de 1900 a contemplar a acção reflexa fisiológica.

 

E é assim, que no início do século XX, a massagem dos pés encontra um fundamento científico graças aos estudos do Dr. William Fitzgerald, um otorrinolaringologista norte americano ao qual se ficou a dever o estabelecimento das bases da reflexologia moderna com a sua “descoberta” das zonas e respectivas técnicas de estimulação, designada por “terapia de zonas”. É ele que codifica as primeiras correspondências entre o pé e a anatomia humana.

 

Mais tarde e após muitas experiências realizadas por ele próprio e pelos seus já numerosos discíplos, toma corpo o primeiro mapa das zonas reflexas que, nos anos seguintes, é permanentemente enriquecido com novas constatações e comprovações. Deste modo, chegamos aos modernos mapas actuais que, ainda que apresentem certas diferenças entre si, oferecem uma visão completa das zonas podálicas e da sua precisa correspondência anatómica com os diferentes órgãos do corpo humano.

 

Tal correspondência e visão panorâmica de relacionar a nova teoria, encontra-se baseada na teoria de W.Fitzgerald que afirma que nos pés (e nas mãos) se encontram todas as zonas reflexas de todas as partes do corpo. Estas zonas, seguindo uma apertada lógica anatómica, projectam nos pés a figura humana na posição fetal. Por conseguinte, encontraremos todos os órgãos do lado direito, reflectidos no pé direito, os da esquerda no pé esquerdo e os centrais divididos pelas zonas mediais de ambos os pés. No dorso dos pés localizam-se as zonas reflexas da parte anterior do corpo, na planta os órgãos internos, as zonas posteriores e assim sucessivamente. Assim, na sequência destes novos contornos anatómicos, nasceu uma vertente da Reflexologia, a “Reflexologia Ocidental”.

 

Reflexologia Podal – método Carlos Vaz:

 

Entrementes, estudei as duas vertentes da Reflexologia Podal, nomeadamente, a Reflexologia Médica Chinesa e a Reflexologia método Dr. William Fitzgerald, e ainda para complementar, a massagem tailandesa dos pés e a calatonia. Face a tantas questões, nomeadamente, no que concerne aos pontos reflexos exactos, que são tão polémicos e divergentes entre vários autores, quer professores de reflexologia, quer escritores e especialistas em reflexologia, resolvi por minha iniciativa criar o meu próprio método, em função da minha experiência como profissional, formação obtida e auto-didacta.

 

Por conseguinte, nessa perspectiva, posso afirmar que tenho obtido grandes resultados, muito mais evidentes do que aqueles que obtia quando praticava a outra face da reflexologia.

 

As minhas ferramentas são as mãos e também utilizo um stick tailandês e pedras (massagem tailandesa dos pés)

 

As diferenças das Reflexologia oriental da ocidental: - Na Reflexologia oriental, inicia-se o tratamento no pé esquerdo, alegadamente, porque o órgão coração na reflexologia chinesa, está só e exclusivamente reflectido no pé esquerdo (o que não correspondente à localização anatómica), e antes de qualquer tratamento é imperativo estimular o órgão coração. - Não obstante, na reflexologia ocidental, o reflexo do coração se localizar em ambos os pés, com maior pronunciação no pé esquerdo, o tratamento é iniciado pelo pé direito, seguindo a circulação venosa e linfática, e o primeiro sistema fisiológico a tratar é o urinário, porquanto, é de primordial importância iniciar o tratamento com o escoamento das substâncias tóxicas depositadas no nosso organismo, através do sistema excretor, para então se evidenciar um melhor relacionamento entre o ritmo e a coordenação no trabalho reflexológico dos sistemas orgânicos, em objecto do desbloqueio dos canais energéticos que os equilibram.

 

Conclusão sucinta: - Na minha perspectiva, estou certo que ninguém é dono da sabedoria, e todos os dias aprendemos, quer com os nossos clientes, quer com os nossos alunos, quer ainda com a experiência de vida e estudos realizados periodicamente. Assim, não substimando ambos as vertentes reflexólogicas, pese embora, acredite mais na reflexologia ocidental e é indubitavelmente aquela em que sempre trabalhei e que ganhei experiência, desenvolvi um método próprio de trabalhar os pontos reflexos, presumindo ser efectivamente uma forma eficaz e dinâmica de trabalhar os dois pés quase em simultâneo, numa forma própria e criativa, onde tenho obtido grandes resultados, quer de diagnóstico, quer de libertação da energia estagnada dos órgãos e vísceras, e sem dúvida, os resultados são evidentes.

 

Na minha opinião, acho imprudente o terapeuta trabalhar em função daquilo que aprendeu em detrimento da sua experiência enquanto terapeuta e da sua capacidade auto-didacta, na medida em que, cada pessoa é uma pessoa, ninguém é igual quer interior quer exteriormente. Há efectivamente pessoas que não têm os seus órgãos e reflexos energéticos e nervosos nos locais exactos, onde aprendemos e entendemos como um método padrão de trabalhar os pontos reflexos, isso é um erro grosseiro. As pessoas também não têm os pontos reflexos iguais, por isso, afirmo que cada caso é um caso. Outro sim, vamos trabalhar em pról da boa saúde, da felicidade das pessoas e não em função de um acto comercial e orgulhoso. Há um ditado que diz o seguinte: “cego é quele que não quer ver”

 

O que são as zonas reflexas?

 

As zonas reflexas são pontos nervosos que estão ligados a uma determinada parte do corpo.

 

Podemos encontrar zonas reflexas em todo o organismo. Mas a maior parte das zonas estão reunidos nos pés e por uma boa razão. Não há nenhuma parte do nosso corpo tão mal tratada como os nossos pés. A natureza tinha previsto que o homem andasse descalço na terra, e assim as zonas reflexas seriam activadas. Mas a nossa natureza foi modificada em função da evolução do homem e das suas tecnologias.

 

O indivíduo moderno dá pouca importância aos pés e há poucas pessoas capazes de perceber o papel fundamental dos pés na sua saúde e no seu equilibrio.

 

O mundo moderno e a tecnologia do séc. XX obriga o indivíduo a torturar e a desprezar uma parte muito importante do nosso corpo – os pés. Apertamo-los em sapatos que nos servem mas que os enformam e inibem a estimulação da sua zona plantar, sufocamo-los em peúgas e meias, marchamos com força a mais, obrigando os nossos pés a uma quantidade extraordinaria de tensões, provocando desta feita uma deficiência da circulação do sangue, levando igualmente a uma deformação do pé e criando problemas diversos.

 

Uma disfunção a nível estrutural, nomeadamente ao nível das fáscias que se caracteriza por um manto contínuo de tecido conjuntivo, cuja função é conetar todas as estruturas do organismo, ossos, músculos, tendões, vasos sanguíneos, órgãos e vísceras, etc., pode provocar condições por vezes irreversíveis, por envolver indirectamente o sistema nervoso periférico e também central (medula espinal). E não há dúvida que os pés têm influência significativa sobre toda a estrutura. Um problema num dos pés pode efectivamente desencadear assimetrias estruturais. Um encurtamento da fáscia num determinado ponto do corpo desequilibra sobremaneira toda a estrutura, assim como, um problema de foro emocional pode desenvolver espasmos musculares e encurtamentos nas fáscias, ou stressá-las. A estrutura corporal, é semelhante a uma fila na posição vertical de peças de dominó, que quando uma se desequilibra, derruba todas as outras em cadeia, como uma cascata.

 

Uma disfunção estrutural e energética no pé pode eventualmente provocar a médio e/ou longo prazo um desequilíbrio significativo na estrutura

 

Outra das consequências directas, situa-se a nível circulatório.

 

Grande parte das pessoas queixam-se de que têm os pés frios, o que pode tornar-se bastante grave, significando que as zonas reflexas estão mal irrigadas, não conseguindo assim cumprir a sua função de maneira satisfatória, pode eventualmente existir cianose sobretudo nas estremidades dos pés.

 

Graças à massagem da zona reflexa podemos obter uma melhor irrigação da zona bloqueada (fria) e ao mesmo tempo transmitir energia ao órgão correspondente.

 

Por exemplo, se massajarmos a zona reflexa do dedo maior da mão, verificamos que o dedo massajado é o mais irrigado e por consequência, torna-se o dedo mais quente da mão.

 

Quando existe uma eficiente circulação da energia subtil, de igual modo existe também uma eficiente circulação sanguínea

 

Porque é que a circulação do sangue é muito importante?

 

A irrigação sanguínea é vital para cada órgão, visto que é o sangue que transporta:

 

ü     Substâncias nutritivas

ü     Oxigénio

ü     Hormonas

ü     Os anticorpos (substâncias das defesas)

ü     Os resíduos do metabolismo

 

Todos os ferimentos e desequilibrios do organismo inteiro (órgãos e músculos) só podem ser curados se usufruirem de uma boa irrigação sanguínea. Se a irriguição for satisfatória, o processo de cura será mais rápido, ao invés, se existir desequilibrios a nível circulatório o processo será bastante moroso. Um exemplo que evidencia que as estruturas avascularizadas são de difícil cicatrização perante uma doença, são as cartilagens, que são estruturas articulares avascularizadas, por esse motivo, numa idade senil da vida humana, as pessoas são mais susceptíveis a desencadear artroses nas articulações, que degeneram as cartilagens articulares (processo irreversível).

 

Do mesmo modo, se os sistemas de depuração próprios do organismo (os sistemas linfáticos e excretório) ficarem bloqueados ou funcionarem deficientemente, as toxinas acumulam-se, provocando problemas metabólicos diversos que inevitavelmente conduzem a médio ou longo prazo à doença.

 

Por exemplo, se porventura houver uma acumulação de toxinas juntamente com stress, a circulação descontrolar-se-á, provocando hiper ou hipopressão. A Reflexologia permite então que os sistemas orgânicos trabalhem bem e que os desperdícios sejam devidamente eliminados. Quando a circulação melhora, o organismo fica livre das impurezas e das toxinas. Por conseguinte, ao reduzir o stress e a tensão, a Reflexologia permite que os vasos cardiovasculares, transportem o sangue com mais facilidade.

 

Porém, há também que salientar que certas mordomias, nomeadamente queijos, chouriços e produtos derivados da gema do ovo, podem porventura subir os níveis de colesterol LDL (mau colesterol), e por seu turno diminuir o bom colesterol (HDL). Portanto, há que ter atenção às análises sanguíneas e aos alimentos que se consomem em demasia. O exercícios físicos desenvolvidos com regularidade e em forma de manutenção, ajuda de forma significativa na formação de colesterol HDL (bom colesterol), evitando a arteriosclerose, que é desenvolvida devida à formação de placas de ateromas na parede das artérias, que por consequência irá estreitar as mesmas, originando problemas graves da circulação sanguínea.

 

Para a eflexologia, o corpo está dividido em quatro partes:

 

§        Cabeça e região do pescoço;

§        Área torácica, desde os ombros ao diafragma;

§        Área abdominal, desde o diafragma à zona pélvica;

§        lvis.

                           

Pode haver pontos reflexos que diferem na relação anatómica do homem e da mulher devido à sua estrutura física, e também a pressão (torr) não é igual, embora a pressão difere de pessoa para pessoa, portanto este dado é relativo

 

Autor dos artigos:

 

Carlos Manuel de Meneses Vaz - Personal Trainer e Terapeuta de Trabalho Corporal 

Home | Catálago | Contactos e links | O meu local de trabalho | Catálogo (2) | O que faço? | Historial de vida / curriculum | Livro de Visitas

Espaços de Saúde, Lazer e Bem-estar:  Lisboa *Portugal* 
- Consultas, tratamentos, seminários, workshops, e cursos extensivos -