Make your own free website on Tripod.com



carlosvaz-massage

A história da minha vida...

De uma forma bastante sucinta e por ordem cronológica, relato um pouco da minha história, e a experiência de vida que venho obtendo como profissional e não só ...:

V I A G E M   A O   J A P Ã O

CULTURA E COSTUMES DOS JAPONESES

 

Em reconhecimento do nosso trabalho no Shiatsu Avançado e no Seitai, respectivamente por mim, Carlos Vaz, e meu colega Sérgio Baptista, foi-nos atribuído pelo Japan Kyoto Oriental Medicine Institute o prémio de mérito, que contemplou uma estada de 10 dias no Japão, com visita aos lugares sagrados, estudo da cultura japonesa, conhecer os seus costumes e recreação. Por conseguinte, no âmbito deste assunto abordarei os aspectos mais pertinentes, nomeadamente no que concerne à beleza natural de Kyoto e Nara, as técnicas de manipulação japonesa e o que mais me impressionou nos costumes e cultura japonesa.

 

Nesse sentido, passo a narrar por ordem sequencial e sucintamente os acontecimentos mais importantes que presenciei na viagem ao Japão:

 

Sete de Outubro de 2009, 4ª feira, acordo pelas cinco da madrugada, na ansiedade de não perder o avião, para uma longa viagem ao país do Sol Nascente. Tinha tudo preparado de véspera, só fiz a barba, tomei um duche, tomei o pequeno-almoço, e meti pés ao caminho rumo ao Aeroporto de Lisboa, e como tinha tempo fui a pé com as malas de viagem pela estrada fora, numa manhã cinzenta e chuvosa; faltava pouco mais de um quilómetro para chegar ao aeroporto quando de repente … desata a chover copiosa e intensamente. Apanhei uma carga de água de tal maneira que fiquei completamente encharcado, mais parecia um pintainho tirado de um charco. Não obstante estes contratempos, lá consegui chegar ao aeroporto. Cheguei tão cedo que tive de esperar algum tempo pelos meus companheiros de viagem, o Mestre Toshio Funada e o meu colega Sérgio Baptista.

 

Fizemos o check-in, tomámos um cafezinho enquanto esperávamos para entrar no avião. Partimos por volta das 9h20, já com algum atraso, rumo a Osaka (Japão), com escala em Helsínquia, capital da Finlândia. Demoramos umas dezassete horas a chegar ao destino. Foi de facto uma viagem algo cansativa, mas extremamente gratificante.

 

Ao chegarmos ao aeroporto de Kansai, em Osaka, procedemos ao câmbio de euros para yens. De seguida apanhamos a camioneta para Yodo, localizado em Kyoto, onde ficamos alojados em casa de um amigo do Dr. Toshio Funada.

 

No dia da nossa chegada, o Mestre Funada levou-nos às termas locais, tomar banhos quentes de imersão, banhos de tonificação muscular e sauna. Logo a seguir fomos experimentar uma massagem japonesa feita por uma terapeuta conhecida do Dr. Funada (caracterizada por uma mistura de shiatsu, anma e seitai). Percebi que a profissional tinha uma sensibilidade e um toque de mãos esplêndido, que me renovou as energias e senti-me indubitavelmente muito mais leve. Fomos jantar a um restaurante típico japonês, optamos por sushi, o prato típico do Japão, e como sobremesa saboreamos os doces típicos japoneses, caloricamente reduzidos. A comida estava deliciosa. Comemos e bebemos até fartar.

 

Com efeito, com a vida que levei durante os 10 dias nas terras japonesas, regressei do Japão com menos 2kg de peso corporal, com a esclerótica dos olhos mais branca, sendo sinónimo de uma redução significativa de toxinas. Realmente, quem quiser fazer uma desintoxicação ao corpo, aconselho uma ida ao Japão, para apanhar aquele ar puro, consumir aquela comida leve com poucas calorias e fresca, beber aquela água pura e cristalina que corre nas fontes das pequenas capelas e dos templos provenientes dos nascentes das montanhas, frequentar as termas regularmente para relaxar e ajudar na tonificação e adelgaçamento do corpo.

 

Continuando o meu raciocínio…visitamos alguns templos em Kyoto, cujos manifestam paisagens deslumbrantes. Sentia-se a energia do matagal cerrado das montanhas, o cheiro a terra húmida embebida pela calmaria das águas dos grandes riachos e lagos que se observavam no seio daquelas magnificas montanhas. A energia das grandes pedras prostradas naqueles lugares, como se fosse obra de arquitectura humana; o que na verdade é um feito da arquitectura da própria natureza terrestre. A complexa e pormenorizada construção arquitectónica dos templos, sua estética e detalhes bem vincados de distinta e tamanha beleza. É de facto um lugar surpreendentemente espectacular, agradável e fascinante quanto à sua beleza e originalidade, requintada por uma magnífica paisagem natural, onde há a sensação inexplicável de energia sonante que paira na atmosfera. É de facto um lugar paradisíaco onde a energia circula ininterruptamente com bastante fluidez, local onde os eremitas se isolam para meditar e saem do corpo físico em busca do corpo espiritual. Ali somos envolvidos por energia pura e vital, onde o sol espreita por entre as grandes plantas vegetais lenhosas e o calor do sol invade o nosso corpo alimentando-o com bastante energia vital, e ao cair da tarde o sol se aparta de nós como uma nuvem passageira que com o vento se vai. As águas límpidas e calmas dos lagos que espelham a imagem e a alma de quem passa e permanece fascinadamente pávido e sereno a contemplar aquele lugar, onde as aves matam sua sede, onde não se ouvem os ruídos ensurdecedores dos automóveis, nem a poluição sonora das grandes obras urbanas e os cheiros nauseabundos que proliferam nas grandes cidades; ali ouve-se o trautear de fundo dos coristas dos templos, o chilrear das aves que ecoam pela floresta e sente-se a brisa fresca e húmida das montanhas que cercam as grandes cidades de Kyoto e Nara. Uma região enigmática, onde existe a sensação que aqueles lugares dissimulam grandes segredos de outrora.

 

Fazendo uma analogia relativamente à construção civil, a qual estamos habituados, a construção anti-sísmica dos edifícios japoneses, são dotados de uma robustez e segurança inigualáveis, com alta qualidade quer dos materiais metálicos e outros envolvidos na construção, quer na estética bem desenhada e que se coaduna com a região montanhosa da periferia. As habitações são bastante acolhedoras recheadas de toda a tecnologia necessária para o dia-a-dia do cidadão. O soalho em tattami e as portas divisórias de correr, identificam a cultura habitacional do povo japonês; a educação e as cerimónias do chá e todo o ritual envolvente é uma regra que vem desde os povos ancestrais, requerem que deixemos o calçado à entrada da casa, façamos uma saudação em homenagem ao criador e em respeito pela vida e prosperidade. É surpreendente a limpeza urbana e zonas rurais; não se vê um papel ou uma beata de cigarro no chão; existem locais na rua que não se pode fumar. Nas casas de comércio, centros comerciais, etc., não se pode fumar. Nos restaurantes, existe espaços preparados para fumadores e não-fumadores. Não se observavam grandes obras que provoquem o caos e o consequente stress quotidiano, como acontece designadamente em Portugal. As obras que envolvem as vias rodoviárias estão bem delimitadas, estruturadas e organizadas de tal maneira que não se sente no dia-a-dia dos cidadãos o trânsito rodoviário. Claro que nas horas de ponta existe trânsito que é inevitável, até porque as ruas têm normalmente duas faixas de rodagem no mesmo sentido. Não existem tantos sentidos proibidos e falta de sinalização como acontece com as estradas de Portugal. Tudo é facilitado e com muita informação e sinalização. As viaturas não circulam a mais de 50km/h nos centros urbanos, e 80km/h fora das localidades. Apercebi-me que os cidadãos cumprem o código de estrada, têm grande sentido de responsabilidade e formação cívica no respeito mútuo entre cidadãos. Nenhum peão ousa passar um sinal vermelho, mesmo que não haja viaturas a circular. Existem os TGV que partem a alta velocidade de Osaka e num ápice chegam a Tokyo. Cada comerciante ou morador incumbe-se de tratar do seu espaço comercial ou habitat sem invadir o espaço do seu próximo; há um respeito mútuo pela propriedade alheia e pela qualidade de vida de cada um; as pessoas deixam as bicicletas e motos no parque de estacionamento junto à estação de comboios e nos parqueamentos dos espaços comerciais, ninguém ousa mexer. Parece tudo muito simples e facilitado.

 

Existem WC públicos por toda a cidade, dotados de alta tecnologia e acessibilidades, cujas instalações estão munidas de material sofisticado de higiene e segurança que não se vislumbram na maioria dos países desenvolvidos. Os comerciantes apregoam à porta dos estabelecimentos comerciais tal qual como observamos nos videojogos. As entradas das estações de comboios e dos autocarros públicos são abertos ao público sem vigilância humana, mas se alguém entrar sem bilhete ou sem passe de livre-trânsito é inesperadamente barrado à entrada, não há esquiva possível face às responsabilidades e bons costumes bem patentes naquela terra.

 

Técnicas japonesas de manipulação manual:

 

O Shiatsu é uma técnica de manipulação manual japonesa reconhecida há cerca de 70 anos pelo Ministério de Saúde do Japão, fazendo parte integrante do Sistema Nacional de Saúde, a par da Acupunctura, da Anma e da Moxabustão.

 

Por outro lado, o Seitai, uma técnica japonesa de manipulação manual, utilizada em tempos longínquos pelos Samurais, não requer licenciatura, à semelhança do que acontece com a Reflexologia japonesa, nem é reconhecido como uma terapêutica coadjuvante das técnicas de profilaxia alopática, na medida em que, é uma técnica de teoria empírica, embora esteja comprovada a sua eficácia. Etimologicamente “Sei” significa - correctamente ordenado, e “tai” significa - corpo. Em suma, o Seitai caracteriza-se por uma terapia manual japonesa de técnicas fisioterápicas e quiropráticas que visam o realinhamento das estruturas ósseas, articulares e músculo-tendinares, favorecendo o equilíbrio do organismo humano, isto é, a homeostase corporal incumbir-se-á a seu tempo de reequilibrar todo organismo. Embora esta técnica tenha uma componente física proeminentemente centralizada no realinhamento do corpo, através de mobilizações articulares, e combinações de alongamentos passivos (similares às da Massagem Tailandesa) e reduções de restrições osteoarticulares através de técnicas de tranco rápido de baixa amplitude (semelhantes às manipulações chinesas Ban-Fa), contudo, o trabalho energético é essencial e fundamental para uma maior eficácia e efectividade desta técnica, o qual não se deve descurar. Portanto, o Seitai é uma técnica física aliada à técnica energética que percorre dinamicamente de forma fluida, coordenada e rítmica, os trilhos “anatómicos” energéticos, denominados meridianos. É indubitavelmente uma técnica que acompanha o Shiatsu, onde estas duas técnicas indissociáveis se fundem numa só em objecto de trabalhar todo o corpo humano de forma holística, visando o corpo físico, emocional, energético e espiritual. É de facto uma técnica que à semelhança do Shiatsu, se utilizam toalhas, através das quais se manipula o corpo do cliente, sem existir de facto um contacto directo do profissional sobre o corpo do cliente. Desta forma, evitam-se situações constrangedoras, nomeadamente, o transmitir a energia do terapeuta para o cliente e vice-versa através da pele, também o suor das mãos em contacto com o corpo é efectivamente uma realidade e bastante desagradável, o resvalar das mãos ou dos pés ao efectuarmos uma manipulação transmite-nos uma certa insegurança e, por consequência, a ineficácia da técnica, além do paciente não se sentir completamente confortável.

 

As minhas vivências e afinidades com as técnicas e tradições japonesas

 

Como é sobejamente conhecido, o Shiatsu a Acupunctura Ryodoraku e Anma, são modalidades técnicas reconhecidas pelo Ministério de Saúde do Japão, como terapias manuais de manutenção e recuperação, que fazem parte integrante do Sistema Nacional de Saúde, como técnicas coadjuvantes complementares e alternativas à medicina alopática. Por conseguinte, profissionais que pretendam trabalhar nesta área terapêutica, têm forçosamente de ser licenciados e inscritos numa ordem associativa profissional, para ser autorizada a sua profissão pelas autoridades competentes, ficando estes subordinados a um código de ética e deontologia profissional, sob pena dos infractores ou prevaricadores do sistema, incorrerem numa infracção grave por desacato à legislação em vigor.

 

Em alguns locais da cidade de Kyoto existem espaços ou clínicas para tratamentos de problemas de saúde através de técnicas japonesas de manipulação, designadamente, Shiatsu, Seitai, Reflexologia, Anma, Moxabustão, Kinésio Taping e Acupunctura Ryodoraku.

 

Tradição de rituais

 

Normalmente, o Mestre criador da técnica ou fundador do espaço terapêutico ou espiritual é apresentado através de uma fotografia à entrada do dojo. Está enraizado no povo japonês o orgulho pela sua cultura, pela sua história e pela sua filosofia de vida. Por conseguinte, há todo um ritual que procede à sessão terapêutica, que tem por objectivo lograr o respeito pela pessoa humana e pelas entidades espirituais que habitam ou pairam naquele lugar. Por exemplo, é obrigatório qualquer cidadão, descalçar-se logo à entrada do dojo, evitando levar esterco e energias dissonantes da rua para dentro das instalações do dojo ou do templo espiritual. Também ao entrarmos num dojo japonês, é fundamental e um acto imperativo saudar em espírito com uma vénia o dojo e o Mestre, como sinal de respeito e humildade.

 

Ritual do chá (CHANOYU)

 

A cerimónia do chá (Chanoyu), típico do Taoísmo e Zen Budismo, introduzido no Japão no século IX, usado muito pelos samurais, é uma cerimónia repleta de procedimentos formais, com utensílios típicos de cerimónia (dogu), onde não existe materialismo; não se pode pisar o tattami, nem usar utensílios materiais, como anéis, pulseiras, brincos, fios, relógios, etc. O chá verde em pó (matcha), é preparado e servido normalmente por uma monja ou criada japonesa vestida com o uniforme tradicional denominado “kimono”. É verdadeiramente um ritual lindíssimo, sinónimo de respeito mútuo evidenciando um relaxamento extraordinário que transcende o campo físico. A maneira graciosa de servir o chá com movimentos harmoniosos e perfeitos, a subtileza com que a servidora serve as pessoas, nomeadamente, como aborda o seu senhor e os seus convidados, como se senta, como se inclina com reverência, como se levanta e como se aparta deles. Todo aquele pragmatismo revelado na cerimónia ostenta um paladar requintado com todos os nutrientes desejáveis para o êxtase da emoção contemplativa que fazem parte da cultura japonesa. É habitual os servos e outras pessoas de condição social humilde e de classe profissional inferior, se inclinarem com reverência na aproximação respectivamente, dos seus senhores ou mestres ou dos seus superiores hierárquicos. Não obstante, este acto supostamente de superioridade de algumas individualidades em detrimentos de outros, não é verdadeiramente considerado um acto discriminatório, mas sim um acto de respeito que a tradição impõe na sociedade, tendo em vista o respeito pelo próximo e a responsabilidade da obtenção de um elixir de anseios para singrar na vida. Por isso, é bem patente o perfeccionismo do profissional japonês, em projectar o seu trabalho com grande apreço, honestidade e diligência, estando em alerta constante e preparado para agarrar as oportunidades no sentido de revolucionar a sua condição de vida, cujos predicados estão enraizados desde o berço, explica porque tudo o que é fabricado no país nipónico é sobejamente conhecido como de grande qualidade.

 

Termas - Espaços de Lazer e Bem-estar

 

Antes de entrar no espaço ou dojo, o cliente descalça-se e deixa o calçado num cacifo para esse efeito, avança pelo corredor até encontrar outro cacifo disponível para mudar de roupa e vestir um roupão. Entra na sala nos balneários de banho, passa-se por água, fria utilizando um balde para o efeito, conhecida como “limpeza da alma”, logo, dirige-se ao corredor comum dos chuveiros e toma uma banho de espuma para se limpar muito bem, utilizando toalhas esfoliantes; seguidamente, o cliente entra na sala dos banhos, optando por banhos relaxantes de imersão; depois desloca-se para a sauna extremamente quente (+ ou – 48º), e de seguido passa para os banhos de contraste - frios (- º negativos) e quentes (+ de 45º); depois para os jactos de água fria ou quente, ou massagem com jactos de água em cascata num clima temperado e num ambiente que simula a natureza rodeada de grande pedras e algas; depois pode optar por banhos tonificantes (que provocam a contracção dos músculos) e banhos de algas.

 

Posteriormente a todas as modalidades de banhos referidos anteriormente, o cliente pode fazer outras modalidades opcionais, tais como, o Akasuri, caracterizado por uma técnica de esfoliação corporal que precede o ofurô, nesta técnica, utiliza-se luvas abrasivas para esfoliação, a fim de remover do corpo as células mortas deixando a pele devidamente limpa e hidratada, preparada para o ofurô. O tradicionalmente conhecido banho ofurô (palavra que etimologicamente significa “banho” de imersão aquecido, com características anti-stress, utilizado no relaxamento muscular, e conhecido por purificar a alma e o espírito).

 

Depois desta série de banhos opcionais, o cliente dirige-se à sala da cerimónia do chá; senta-se no tattami na posição seiza, saboreando o chá quente antes de fazer uma massagem relaxante mas concomitantemente revigorante.

 

 

Massagem japonesa:

 

O cliente é convidado graciosamente pelo profissional a entrar na sala de massagem, previamente aquecida a uma temperatura agradável e amena, mantendo o corpo do cliente completamente relaxado. O cliente contempla o espaço decorado esteticamente com cores relaxantes, luz artificial colorida muito suave e disposta cuidadosa e imparcialmente por toda a sala, mantas de algodão aquecidas e com cores relaxantes. A música de fundo muito suave envolvente, cujas paredes da sala de massagem não deixam entrar qualquer efeito de sonoridade exterior, os óleos essenciais para uma massagem relaxante ou terapêutica, provocam o enlevo da contemplação de todos os sentidos do ser humano. Seguidamente, o cliente posiciona-se na marquesa ou no futton de massagem, e é envolvido por uma massagem executada de forma coordenada e rítmica por um técnico especializado, com conhecimentos práticos bem patentes na sessão, o qual transmite segurança e uma energia sonante que deixa o cliente bem relaxado e simultaneamente revigorado.

 

Fazendo uma analogia aos espaços de lazer e bem-estar existentes em Portugal:

 

Não obstante, existirem espaços em Portugal vocacionados para o lazer e bem-estar muito bem delineados e trabalhados estética e confortavelmente, tendo em vista um conceito inovador direccionado para um público especial, todavia, tomo a liberdade de manifestar a minha opinião, adiantando que esta atitude japonesa faz toda a diferença relativamente aos conceitos de orientação dos espaços comuns de massagem que de uma forma geral se pratica em Portugal, salvo como disse, alguns SPAS e centros de bem-estar de luxo com novos conceitos de abordagem, cuja bolsa não é para todos.

 

O meu humilde conselho aos profissionais da área:

 

Esta viagem revelou-me um pormenor importante que normalmente não se vislumbra no ocidente: um bom profissional tem de almejar uma atitude de subtileza, humildade e de nobreza no seu trabalho. Não obstante, terá também de possuir um toque revestido de amor altruísta e sensível, para que consiga ter êxito na recuperação do seu cliente. Pese embora tenhamos de viver do nosso trabalho, todavia, não podemos justificar essa razão para lograr em proveito próprio com intenções meramente comerciais, mas devemos acima de tudo olhar o nosso semelhante como um filho que amamos, para que obtenhamos sucesso profissional. Temos de ser profissionais idóneos, manifestando uma conduta deontológica com ética, como ferramentas indissociáveis da nossa relação com o trabalho, sendo imparciais para com todos os clientes, mantendo o respeito pelas mesmas como um acto imperioso. Outro aspecto fundamental e de suma importância, é actualizarmos os nossos conhecimentos, imitando o que há de melhor na cultura japonesa, para que possamos acompanhar o desenvolvimento ininterrupto da medicina alternativa ou complementar, visto que ao contrário do que se pensa, esta está em constante desenvolvimento e actualização.

 

Em suma, o segredo do êxito dos orientais e particularmente dos japoneses é sem dúvida a sua maneira graciosa e diferente de abordar as pessoas e a raiz do problema, como uma forma holística, isto é, corpo, mente e espírito.

 

Conclusão:

 

Esta viagem foi indubitavelmente um tónico que me deu alento para desenvolver com uma maior credencial um manancial de técnicas profilácticas em prol da recuperação da pessoa humana.

 

Por conseguinte, esta viagem ao Japão foi extremamente gratificante e uma mais-valia, no que concerne à experiência adquirida na relação de amizade com o povo japonês e os seus costumes, e as valências técnicas adquiridas, contabilizando assim mais uma etapa cumprida, onde trouxe na bagagem um enorme desejo de lá voltar brevemente.

 

 

Esta pequena crónica será integrada no meu website indicado abaixo, acompanhada de uma tradução de parte dela em Inglês para uma divulgação a nível universal da minha própria actividade, já que neste, como noutros campos, o uso do Inglês é hoje incontornável.

  

English

 

Spa - Leisure Areas and Wellness

Before entering the space or dojo, the customer should take off his shoes and leave them in a locker for that purpose. He should go down the hallway to find another locker available for changing his clothes and wear a robe. He has to enter the dressing room where he goes through a cold water shower, using a bucket for that purpose, known as "cleansing the soul". Afterwards he should go to the common corridor of showers and take a bubble bath, to get clean using exfoliating towels. Then the customer enters the bathing room opting for a relaxing bath, then he moves to an extremely warm sauna (+ or - 48), and then on to contrast baths - cold (- 10) and warm (+ 45) and jets of cold or hot water, or massage with jets of cascaded water in a temperate climate and an environment that simulates nature surrounded by large rocks and sea. Then he can choose toning baths (which cause the contraction of the muscles) and seaweed baths.

Subsequently to all types of baths mentioned above, the client can make other options, such as the Akasuri (characterized by a technical body scrub above the tub). In this technique we use an abrasive exfoliation glove to remove body dead cells leaving the skin clean and moisturized, properly prepared for the hot tub.

After this series of optional baths, the client goes to the room of the tea ceremony, sitting in the seiza tattami, sipping hot tea before making a relaxing but simultaneously invigorating massage.

Japanese massage:

The client is  invited by the professional to enter  the massage room, previously heated to a nice and warm temperature, keeping the client's body completely relaxed. The client contemplates the space aesthetically decorated with soothing colours, coloured by deemed artificial light, carefully displayed  all over the room, warmed cotton blankets and soothing colours. The background music is soft, the walls of the massage room shouldn’t be vulnerable to any exterior sound effect. Essential oils for a relaxing or therapeutic massage trigger the rapture from the contemplation of all the senses of human beings. Next, the client stands on a couch or futton massage, and is surrounded by a massage performed by a technician in coordinated and rhythmic way, expressing his practical knowledge, which provides safety and  energy that leaves the client soundly and simultaneously relaxed and invigorated.

Making an analogy to the amenity and well-being spaces in Portugal:

Although there are spaces in Portugal aimed at leisure and well-being, designed and crafted aesthetic, comfortable, with a view to innovative concepts aimed at a particular audience, I take the liberty to express my opinion, adding that this Japanese attitude makes all the difference in the terms of orientation of the common areas of massage generally practised in Portugal, except as I said, some centres, spas and well-being luxury spaces with new approaches, whose prices are not for all.

My humble advice to professionals:

This trip to Japan has shown me an important detail not normally seen in the West: a good professional has to get an attitude of subtlety, humility and nobility in his work. However, you must also have a touch of unconditional love and sensitiveness, so you can be successful in recovering your client. Despite the fact that we have to live on our work, however, this can not justify to achieve  purely commercial intents, but must, above all, look at our neighbour as a child we love,  to gain professional success and fulfilment. We must be fit professionals, a stating of ethical conduct with ethical tools as inseparable from our relationship with work, being fair to all customers, while maintaining respect for them as an imperative to act. Another fundamental and of paramount importance, is to update our knowledge, imitating what is best in Japanese culture, so we can continuously monitor the development of alternative or complementary medicines, since contrary to popular belief, they are in constant development and updating.

In short, the secret of the success of eastern cultures, and particularly of the Japanese, is, certainly, the gracefully way they use to deal with different people and the root of their problems, in a holistic way, which includes body, mind and spirit.

Conclusion:

This trip was undoubtedly a tonic that gave me encouragement to develop further with a wealth of credentials, prophylactic techniques for the recovering of the human person.

Therefore, this trip to Japan was extremely rewarding and an added value, in terms of experience as for the friendship with the Japanese people and their customs, the technical assets acquired, accounting for a well accomplished step, that makes him urge to go back soon.


Article Author: Carlos Manuel de Meneses Vaz

O XAMINISMO (BREVEMENTE)

 
As peripécias e a determinação de um adolescente
 
Foi na fase de transição da infância para a adolescência, que fui seduzido pela beleza das técnicas de combate de Bruce Lee que passava nos cinemas da época. Dado o meu fanatismo e admiração pelas Artes Marciais, faltava à escola para ir ao cinema assistir a uma matiné de filmes de Artes Marciais. Tinha uma imaginação fértil, porém, vivia na ilusão e num mundo de fantasia. Sonhava um dia ser um pugilista, ou um atlecta de desportos de combate fora de série. Fanático pelas artes marciais envolvia todo o meu pensamento e habilidades físicas nos desportos de combate e façanhas de Bruce Lee, o grande mito de então.
 
Residia numa casa de rés do chão, que tinha um quintal que se estendia à sua frente. Nesse quintal pendurei um saco com areia a uma figueira, e ... lá estava eu aos socos e pontapés a imitar o Bruce Lee. Conseguia a proeza de juntar uns trocos para comprar literatura sobre os grandes Mestres de Artes Marciais de então, designadamente o Mestre Masutatsu Oyawa (10º Dan), Bruce Lee, Funakoshi, entre outros. Os livros eram editados em inglês, por isso, não percebia patavina, contudo, bastava observar as imagens alusivos aos pormenores técnicos, para fazer uma montagem na minha imaginação, e, assim, lá ía treinando como autodidacta, com grande entusiasmo e convicção.
 
A treinar sozinho consegui proezas difíceis de realizar, tais como, fazer flic-flac, saltos mortais em plena rua, cambalhotas voadoras, espargata, saltos voadores, etc., até cheguei a saltar por cima de seis indíviduos em fila indiana discretamente curvados anteriormente. Tudo isto, foi inspirado nos filmes do Bruce Lee e de outros artistas de artes marciais chinesas, coreanas e japonesas.
 
Com 13 anos inscrevi-me numa Arte Marcial Japonesa, conhecida por Shorinji-Kempo, ministrada no ISEL (Instituto Superior de Engenharia de Lisboa), em Lisboa. O Mestre era um Japonês cujo nome não me recorda. Pratiquei esta Arte Marcial durante alguns meses, depois desisti e inscrevi-me no Shotokai, o qual pratiquei só durante 2 ou 3 meses. Entretanto, como apreciava mais um desporto vocacionado para o contacto físico, como por exemplo, o boxe, resolvi desistir das Artes Marciais japonesas e optei por enveredar pelo Full Contact. Foi então com 14 anos que iniciei a prática de Full Contact com o Mestre Francisco Gouveia, na Piscina dos Olivais, em Lisboa.
 
A minha resumida história como disciplo das artes marciais, instrutor de desportos de combate, formando das terapias manuais e finalmente como terapeuta.
 

Mais tarde, aos 17 anos de idade atingi a grande forma física. Treinava com os campeões da altura, designadamente, o Fernando Jaime (campeão do mundo de Kung Do Té e um dos melhores atletas da europa em Full Contact, Vilhena, Carriço, Tó Zé (Tonulha), José Pratas, e Vitor Morgado (campeão europeu de profissionais em 1997/98), entre outros. Entretanto, mais precisamente em 1980, o Full Contacte foi proíbido em Portugal devido à sua postura extremamente violenta dentro do ringue, como era sobejamente conhecida esta modalidade, e também devido a pressões marginais motivado por interesses de várias elites em eliminar esta modalidade de combate, porquanto, este desporto  era de forma proeminente uma pesada concorrente às artes marciais, onde por seu turno seduzia e angariava cada vez mais adeptos oriundos designadamente das várias vertentes de artes marciais orientais.

Por consequência, o meu esforço de alguns anos de treino árduo de competição tinha sido em vão, as perpectivas de uma reviravolta da situação eram diminutas, por isso, resolvera desistir de forma radical da modalidade. Estive alguns anos parado, sem treinar Full Contact, no entanto, fazia a minha peladinha, treinos de elasticidade e alguns exercícios energéticos ... e... pouco mais.

Mais tarde, mais precisamente com 26 anos de idade, reiniciei a actividade das Artes Marciais, no Yozeikan Budo, durante 8 / 9 meses. Porém, depois de longa ausência regressei à prática de Full Contact, no Ginásio do STML em Entrecampos com o Mestre Aires de Almeida 4º Dan na altura (também meu antigo colega do Full Contact na piscina dos Olivais). Optei mais uma vez por esta modalidade de combate, devido à minha afinidade com os desportos de contacto total, e a minha personalidade se coadunar mais com este tipo de desporto.

Porém, depois de largos anos de prática de Full Contacte / Kick Boxing, optei pela tarefa de Instrutor de Muay Thai e Kick Boxing, o qual desempenhei funções durante alguns anos. Tendo inclusive na época de 2002 obtido a proeza de formar um campeão Nacional de Lith Contact, na classe juvenil, e dois vice campeões nacionais na mesma modalidade, na classe júnior, a representar o Ginásio CR-GYM Forte, situado na freguesia do Forte-da-Casa, concelho de Vila Franca de Xira, Portugal.

Em 1999 enveredei pela formação em terapias manuais, e em particular pela massagem sueca no âmbito da reabilitação, a electroterapia e a massagem desportiva, e também algumas técnicas de massagens orientais.

Desde então, tenho estudado e praticado afincada e ininterruptamente a manipulação e a massagem, nomeadamente, no âmbito da Manipulação de Tecidos Moles e na Reduções de Restrições Osteo-articulares. Por conseguinte, tenho evoluido no desempenho de técnicas de manipulação manual, nomeadamente, no âmbito da  traumatologia desportiva e na correcção postural, através de técnicas de liberação miofascial, trabalho proprioceptivo, kinesiologia aplicada, alongamento miofascial efectuado no tapete (método Thai), técnicas de redução de restrições osteo-articulares e exercício de pilates.

Neste momento, desempenho funções como personal trainer e terapeuta de trabalho corporal, em várias clínicas, spas e domicílios.

Participei na Expo Viva em Forma em 2003, 2004 e 2005, e no Fórum Estética 2005 e 2006 no Centro de Congressos de Lisboa, na antiga FIL, pela ANEP - Associação Nacional de Estéticismo Profissional, como terapeuta de Thai Massage e terapias similares; participei no evento de Acqua Thermal na Cordoaria Nacional de Lisboa; participei na Exponor (Porto) em 2007; participei no Portugal Sénior 07 na Gare Marítima de Alcântara, em Lisboa, no dia 24.06.2007, representei a Associação Nacional de Estéticismo Profissional no Evento Viver Saúde da Expo de Lisboa, realizado nos dias 29 e 30 de Setembro de 2007, com demonstrações de técnicas de massagem e manipulação, representei a Revista Estética Viva no evento Fórum Estética Viva 2007, realizado nos dias 13 e 14 de Oututro de 2007 no Centro de Congressos de Lisboa, representei a Associação Europeia de Terapias Orientais na Feira Alternativa realizada na Cordoaria Nacional em Lisboa nos dias 29, 30 e 31 de Março de 2008. Participei em Representação da Associação Toyo Igaku, no 6º Congresso de Naturopatia e Medicinas Não Convencionais, no IPJ, em Lisboa, 2009, com demonstração de Thai Body Work. Participei no Fórum Estética Viva, na FIL, em Lisboa, em 23 e 24 Outubro de 2010, com demonstrações de Body Balance Massage e Seitai.

Escrevi um Artigo sobre Nuad Bo-Ran (Massagem Tradicional Tailandesa e Thai Body Work), que foi editado na Revista Estética Viva n.º 46 de Maio/Junho de 2006, e escrevi outro artigo sobre Massagem Tailandesa de Óleo com Toalhas, que foi editado na Revista Estética Viva n.º 57 de Março / Abril de 2008. Editei um artigo na Revista da ANEP, sobre Reflexologia Podal em Dezembro de 2006 e escrevi outro artigo sobre Thai Body Work e Thai Massagem publicado em Setembro de 2007. Participei nos dias 25 e 26 de Outubro de 2008, no Fórum Estética Viva, na FIL (Centro de Congressos de Lisboa) com demonstrações de Seitai, Thai Massage e Thai Sport Massage, no Espaço Zen da Revista Estética Viva. Publiquei um artigo sobre Thai Massage na Revista MANZ, alusivo a uma formação agendada para a Convenção Internacional de Fitness de Aveiro 08. Publiquei artigos sobre Thai Massage nas Revistas Saúde Actual, Flor de Lótus e 100% Natural, em 2009. Publiquei um artigo sobre a minha viagem ao Japão e o meu contacto com a cultura japonesa, na Revista SAÚDE ACTUAL, de Janeiro - 2010.

Fui ainda terapeuta e coordenador de actividades físicas ligados a Clubes.

Ministrei formação no Instituto de Formação em Ciências Integradas de Saúde (IFCIS). Sou formador de Nuad Bo-Ran, Reflexologia Podal e Stretching oriental na ANEP - Associação Portuguesa de Estéticismo Profissional, na Associação Europeia de Terapias Orientais, e na Associação Toyo Igaku (Centro do Mestre Toshio Funada). Desenvolvo workshops, seminários e demonstrações por todo o país sobre terapias de manipulação manual e massagens .

Concluído a 19 de Outubro de 2005

Actualizado em 24 de Fevereiro de 2008

C U R R I C U L U M   P R O F I S S I O N A L

Ora, ao observarem o meu curriculum, muitos interrogar-se-ão?!... porquê... este indíviduo percorre muitos caminhos... frequenta formação variada?... Bom!... Justifico com a seguinte fundamentação:

- É bom uma pessoa saber muito sobre algo, isto é, sobre só única e exclusivamente uma disciplina... um feito... uma modalidade... enfim... um tipo de terapia manual ou massagem para a qual está mais vocacionado. Só assim, essa pessoa consegue concentrar toda a sua energia, execução habilidosa e experiência numa só modalidade (versão) e aperfeiçoá-la dia após dia, obtendo dessa forma experiência no terreno. Ao invés, o indíviduo que percorre vários caminhos, ou seja, não se centraliza numa só vertente terapêutica, ou massagem, mas pratica várias modalidades e estuda várias teorias tentando aperfeiçoar-se em todas elas, pode dessa maneira não conseguir o objectivo de evoluir eficazmente numa determinada técnica, na medida em que, por vezes a teoria  e a técnica diferem entre si. Será assim?...

- Bom!... Eu, por meu turno, tenho uma perspectiva do campo terapêutico bastante ampliado, mais abordante, isto é, uma forma cognitiva de focalizar-me em várias técnicas a fim de fundi-las numa só, para assim poder aplicá-las em função da terapia a efectuar no cliente. Como é sabido, as terapias manuais, e em particular as massagens são algo limitadas, ficando muitas vezes aquém das expectativas, e a maior parte delas têm milhares de anos, carecendo de comprovação científica. Muitas técnicas de massagens orientais estão obsoletas, são muito rudimentares e não se realça sobretudo o estudo de anatomia e a biomecânica do sistema de locomoção, que são indubitavelmente disciplinas imprescindiveis por se caracterizarem como um mapa de orientação indispensável para o terapeuta, e, por consequência, a massagem pode eventualmente contribuir para a deformação do indíviduo se aplicada sem o conhecimento profundo de anatomofisiologia,  principalmente a cinesiologia do movimento, que é uma acção informativa sobre as funções e o movimento mecânico do corpo. Por conseguinte, é com esse objectivo que estudo diversas técnicas aproveitando o que de bom elas nos dão, e eliminando efectivamente o que presumo não contribuir para a saúde da pessoa, porquanto, há que lembrar que estamos a trabalhar em corpos humanos, e um deslize, ou falta de carácter do terapeuta, devido a curiosidade, experimentações, etc., pode pôr em risco a saúde do cliente. Outro pormenor a ter em conta, é que a maior parte das massagens não realça a energia muscular, nomeadamente, os exercícios isométricos e os isotónicos, o que de facto deixa a terapêutica muito aquém dos objectivos. Para ser mais perceptível, vou dar o seguinte exemplo: - perante o encurtamento muscular por hipertonicidade devido porventura a vários factores, nomeadamente: stress emocional, posturas inadequadas, patologias do foro neurológico, lesões desportivas e profissionais ... e traumas gerais, cujas consequências, reflectem-se sobretudo na alteração das fáscias, que se caracterizam por um manto contínuo que coneta todos os tecidos do nosso corpo, e os sustenta. 

Para um melhor esclarecimento sobre a matéria, e não querendo de maneira alguma fazer uma introdução exaustiva, faço um breve comentário sobre a característica e função das fáscias: - A fáscia consiste em três camadas distintas, saliento dois exemplos: - a fáscia superficial, que se encontra ligada à superfície da pele, caracterizado por um tecido de trama frouxa, fibroelástico e areolar. Dentro da fáscia superficial há gordura, estruturas vasculares e tecidos nervosos, particularmente os corpúsculos de Paccine (receptores da pele); - depois temos a fáscia profunda, que é firme, retesada e compacta, não obstante, circundar e separar vísceras, ela envolve e separa músculos, designadamente: - o epimísio que envolve o músculo propriamente dito, o perimísio que cobre os feixes musculares e o endomísio que cobre as células musculares. A fáscia possui elasticidade que lhe confere a propriedade de conservar a sua forma e responder à deformação. A deformação elástica é a capacidade da fáscia recuperar a sua forma original quando a carga é aliviada. Se porventura a carga for longa e pesada, a fáscia pode eventualmente não conseguir recuperar o seu tamanho original após a remoção, o que resulta em deformação plástica. Resumindo e concluindo, posso dizer que dentro do sistema miofascial, o retasamento cria e a frouxidão permite assimetria. Uma alteração a nível da fáscia, por exemplo, num pé, desequilibra toda a estrutura corporal, na medida em que, a fáscia assemelha-se a um lençol que cobre uma cama, quando puxamos o lençol de uma ponta, ele enruga em quase ou mesmo todos os ângulos, desalinhando. Nestas circunstâcias, a terapêutica a optar é a libertação de resistências ou restrições da fáscia, através de técnicas prolongadas de liberação miofascial, técnicas neuromusculares e técnicas de energia muscular, com o objectivo de reduzirmos assimetrias, mais evidenciadas, por exemplo; na coluna vertebral por esta ser o pilar da estrutura do nosso corpo. Portanto, é fundamental e imperativo trabalhar todo o corpo, incidindo a terapêutica não só no relaxamento ou no alongamento muscular, mas também nos exercícios de motricidade; designadamente, exercícios de força isotónica concêntrica e/ou excêntrica (isólitica) e contracção isométrica. E complementar os exercícios anteriormente descritos com trabalho de alongamento da fáscia por facilitação e liberação, equilibrando desta forma os músculos agonistas e os antagonistas, assim como todos os músculos envolvidos na acção da sinergia muscular, como de resto já foi referido. Para isso, tem de haver uma avaliação prévia, e consoante o diagnóstico, programar a melhor solução para corrigir o mau funcionamento da estrutura, mediante um protocolo de exercícios activos e passivos, e incluir as massagens como um complemento numa fase pré-manipulativa, no sentido de aquecer e relaxar todo o tecido envolvido, para evitar lesões, tensões, ou a contracção dos músculos voluntários, activados pelo sistema nervoso simpático, que, por consequência, contribuíria seguramente para a ineficácia do nosso trabalho. Todavia, a massagem tem um papel fundamental e incontestável no equilíbrio do tónus muscular, na medida em que, "a massagem é um companheiro inseparável do sistema nervoso parasimpático", e dessa forma, é induvitavelmente um sedante no relaxamento de músculos tensos, quer devido a problemas posturais, profissionais quer ainda provocados por problemas de foro emocional. Quero ainda salientar a importância da noção dos músculos fásicos (dinâmicos) e estáticos (estabilizadores), nomeadamente na relação com a dinâmica do indivíduo e da sua postura no equilíbrio do corpo. Há que ter em conta que não é correcto tonificar principalmente alguns dos músculos da estabilidade, designadamente, o trapézio superior, o quadrado lombar, o iliopsoas, o sóleo, entre outros, na medida em que, já são músculos tensionados devido à sua natureza de estabilização. Temos de alongá-los para permitir a simetria.

Posto isto, é nesse sentido que frequento várias formações e, pretendo ter uma formação contínua, na medida em que "só sei que nada sei"..., para me apresentar tecnicamente em forma, e enfrentar porventura qualquer situação com que me depare na clínica, sem improvisar, sem inventar, para bem do cliente, ou, se quiserem, do paciente. Salvo excepções à regra, e outros argumentos e opiniões antagónicas que respeito, presumo ser esta a melhor opção sobretudo em benefício do cliente, e também na defesa da ética profissional do Massoterapeuta e/ou Terapeuta Corporal. Há que salientar que estamos sempre a aprender ..., todos os dias aprendemos, quer com os nossos professores, quer na literatura técnica, quer com a experiência clínica no trabalho diário com os nossos clientes, quer ainda com os nossos alunos.

Para ser mais conciso e objectivo, o que mais almejo e o que efectivamente está no meu horizonte, é contribuir para o bem estar e saúde das pessoas, e divulgar as minhas criações técnicas de manipulação, que venho fundindo em função de todos aqueles que carecem de uma terapia de raíz (eficaz). Nesse sentido, observo como primordial importância na terapêutica, a abordagem do indíviduo de uma forma holística e consciente, e não de uma forma focalizada única e exclusivamente na localização da dor, ou enveredar por um tratamento superficial, na procura do sintoma, em objecto de reduzir a dor. Tais atitudes têm indubitavelmente contribuido para a frustração das pessoas em relação a algumas terapêuticas manuais. Por meu turno, o que aconselho a quem procura uma resolução para as suas enfermidades, é terem os pés bem assentes no chão, e não se deixarem iludir por falsas promessas e falsas curas, outro sim, procurem um terapeuta que está acima de qualquer perconceito ideológico, que se adjective pela honestidade, franqueza no seu desempenho e pelo amor altruista; e não com objectivos comerciais e gananciosos, que leva a vangloriar-se de si mesmo, e ultrajar ou denegrir a imagem de seus colegas de profissão, ou de outras modalidades técnicas, nomeadamente, afirmando que a sua técnica é a mais eficaz, e que ele é o melhor terapeuta e, por conseguinte "dono da sabedoria".

Portanto, é fundamental que o terapeuta tenha uma visão panorâmica no campo terapêutico, que seja um condutor consciente e experiente no campo da terapia manual, e, por conseguinte, contribua para a atenuação da dor física procurando a origem do problema e não a situação ora secundária. E também que contribua com o seu saber para atenuar as emoções negativas, através do equilíbrio dos sistemas  estrutural, emocional, energético e quiçá espiritual,... e quem sabe...!?... se no desenrolar da terapia não sucede um "milagre", porquanto, existem situações que à priori parecem irreversíveis, mas que na realidade não passam de um diagnóstico prematuro e extremamente vocacionado para a matéria física (ignorando pura e simplesmente a parte espiritual e a parte súbtil do sistema energético), onde não se atende por um lado à componente da homeostasia corporal (que é científico - e logo que o corpo é equilibrado estrutural e energeticamente, a homeostasia corporal incumbe-se de forma natural da reorganização do sistema do organismo), e por outro lado à alusão da energia súbtil que passa despercebida e é efectivamente ignorada na medicina alopática. No meu ponto de vista, presumo que só assim, com esta atitude humilde de contornos altruistas e formas coerentes, é que a terapêutica funcionará.

Se me permitem dir-vos-ía que existe também um medicamento por vezes "milagroso", esse medicamento natural e simples designa-se de amor altruista, isto é, há que ter a sensibilidade necessária para usar a sabedoria e a perspicácia, a fim de lidar com o doente. O mais importante, é saber ouvir, saber pôr-se do outro lado (do doente, ou cliente), ter humildade para compreender e reconhecer as suas aflições, congratular-se com os êxitos e falhas do cliente; e não incutir no cliente que ele está com uma grande depressão ..., que é hipocôndriaco ..., que não deve fazer isto ou aquilo..., que mude de atitude para seu bem ... enfim .... Na minha modesta opinião, há também que acreditar que existe de facto problemas que pensamos pertencer ao foro psicológico ou emocional, mas que na realidade são do foro espiritual e/ou desequilíbrio energético, e neste aspecto, a medicina alopática tem-se mostrado categoricamente céptica.

Posto isto, estou certo, que a compreensão e o aconselhamento com formas súbtis, sem magoar a sensibilidade do cliente é fundamental para o bem-estar psicológico e para o progresso da cura do doente, ou cliente.

Todavia, quero frisar, que o atrás exposto traduz a minha opinião, e com isto, não pretendo de forma alguma ferir susceptibilidades. Não me baseio em nenhum dado concreto, nem em críticas de atitudes levianas, mas sim, numa crítica construtiva, no sentido de despertar o interesse pelo desenvolvimento da terapêutica energética e espiritual, em pról da pessoa humana.

Concluído a 18 de Outubro de 2005

 
Formação Profissional na área da Saúde e Desporto:
  • Curso Profissional de Massoterapia e Técnico Aux. Fisioterapia (264h - I. M. T.) = 19 valores
  • Estágio em Fisioterapia - Clínica Fisioterapia de Alvalade "Cefisal" (272h) = com classificação final de estágio de 85%
  • Curso de Massagem Desportiva (ACEITEM)
  • Curso Profissional de Reflexologia Podal (60h - I. M. T.) = 18 valores
  • Curso Profissional de Kinesiologia Aplicada (240h - KIROS)
  • Curso Profissional de Quiromassagem Superior (1.240h - KIROS) = 17,5 valores
  • Curso Profissional de Massagem de Reabilitação e Desportiva (100h) (CEFAD - Centro Estudos e Formação de Actividades Desportivas) = 18 valores
  • Nível III de REIKI "Usui" (Drª Ana Margarida Brandão, Psicóloga Clínica e Mestre de REIKI)
  • Nível I de "Karuna" REIKI (Drª Ana Margarida Brandão, Psicóloga Clínica e Mestre REIKI)
  • Curso de Mesoterapia (Laboratórios Semildiet)
  • Curso de Mesolifting (Laboratórios Semildiet)
  • Curso de Vigilantes e Massagistas de Futebol 11 (Associação Futebol Lisboa)
  • Curso de Massagem Ayurvédica - ALBA)
  • Curso de Cristaloterapia (ALBA)
  • Massagem BREUSS/DORN (Dr. Luciano Beltrame)
  • Massagem BREUSS/DORN (Escola Superior de Medicina Tradicional Chinesa - docente Suiço, Clibe Radda)
  • Cursos de Massagem Chinesa TUINA (Chinarte - Escola Latina-Americana de Santiago do Chile de Medicina Tradicional Chinesa - Dr. Peng Xuming)
  • Workshops de Manipulação BAN-FA (manipulação similar à quiroprática), com Dr. Peng Xuming, Chefe Hospitalar de Técnicas Manipulativas do Hospital de Guangzhou - China
  • Workshop de Chi Kung Terapêutico, com Dr. Luis Pedreros, Director da Escola Latino-Americana de Medicina Tradicional Chinesa de Santiago do Chile
  • 1º Seminário Nacional de Medicina e Traumatologia Desportiva (Sport Lisboa e Benfica)
  • Seminário Internacional de "Formação à Alta Competição" (Sport Lisboa e Benfica)
  • Workshop Ligaduras Funcionais (Sport Lisboa e Benfica)
  • Workshop de Massagem Desportiva (Sport Lisboa e Benfica)
  • Curso de Massagem Tradicional Tailandesa (Nuad Bo-Ran) (CEIC - Madrid - Espanha)
  • Curso de Massagem Tailandesa de Óleo (CEIC - Espanha)
  • Curso de Massagem e Reflexologia Tailandesa dos Pés (CEIC - Espanha)
  • Curso de Técnicas de Alongamento Manual - método ARIEL JOSELOVSKY (CEIC - Espanha, Dr. Ariel Joselovsky, criador da técnica )
  • Curso de Massagem de Estética Zonal, facial e corporal (CEIC - Espanha)  
  • Curso de Drenagem Linfática Manual (CEIC - Espanha)
  • Frequência do Curso de Shiatsu Seitai Therapy (Assoc. Portuguesa Shiatsu Seitai Therapy)
  • Curso de Reflexologia Podal Médica Chinesa, ministrada pelo Dr. Peng Xuming, Prof. Doutor da Universidade de Medicina Tradicional Chinesa de Guangzhou (U.M.T.C.G.) e Director do Departamento de Massagens do Hospital U.M.T.C.G. - China
  • Frequentei Chi Kung no Chinarte - ELASCMTC  
  • 2º Dan de Muay Thai / Kick Boxing / Full Contact (WKA e Federação Portuguesa de Full Contact)
  • Estágios em Karate, Kick Boxing, Muay Thai, Yoseikan Budo, etc.
  • Pratiquei Yoseikan Budo, Shotokai e Shorinji Kempo  
  • Fui Instrutor de Muay Thai e Kick Boxing 
  • Seminário Internacional "da Formação à Alta Competição" (SLB)
  • 2º Seminário Nacional de "Medicina e Traumatologia Desportiva" (SLB)
  • 2º Workshop de "Ligaduras Funcionais" (SLB)
  • Seminário Internacional de "Selecção e Desenvolvimento de Jovens Talentos" (SLB)
  • Seminário Internacional de "Psicologia do Desporto" (SLB)
  • Curso de Drenagem Linfática Manual, na Escola Europeia de Estética, com a Docente Profª Carolina Pontes = 60h
  • Workshop de Calatonia / Toques Subtis, na Escola Asas e Raízes, docentes brasileiras: Psicólogas Drª Rosa Maria Farah e Drª Maria Irene C. Gonçalves 
  • Curso de Massagem Pediátrica Chinesa, com o Dr. Peng Xuming (Chinarte) 
  • Curso de Suporte Básico de Vida (1ºs socorros) pela Cruz Vermelha Portuguesa
  • Curso de Terapia Miofascial (Instituto de Técnicas de Saúde) = 110h
  • Curso de Terapia Manipulativa (Instituto Técnicas de Saúde) = 110h 
  • Curso de Aromaterapia, pela formadora e médica Drª Karina Granata, reconhecido pela Associação Brasileira de Acupunctura e Estética e Associação Portuguesa de Acupunctura e Terapias Orientais
  • Curso de TUINA - Traumatologia e Ortopedia II, na Chinarte, ministrado pelo Dr. Peng Xuming, Profº e Director do Universidade de Guanzhou - China
  • Curso Formação de Instrutor de Pilates, ministrado pelo CEFAD = 60 horas  = 17 valores
  • Curso de Massagem Tradicional Chinesa - Manipulações Básicas e Doenças Comuns, ministrado pelo Dr. Peng Xuming, Professor Universitário e Médico em Guangzhoum - China
  • Curso de ACUPUNCTURA - "A Técnica da 3 agulhas do Dr. Jin Rui", ministrado pelo Dr. Peng Xuming
  • Curso básico e avançado de Thai Yoga Massage, ministrado pela Mestre Choenzom Emchi (acreditado pela Escola de Sunshine Network em associação com a Sociedade Internacional de Thai Yoha Massage) = 104 horas
  • Workshop de Kinésio Taping, ministrado na Associação Toshio Funada, com a supervisão do Mestre Toshio Funada
  • Curso de Seitai Therapy, ministrado pelo Mestre Toshio Funada - Associação Toyo Igaku
  • Curso de Reflexologia Japonesa, ministrado pelo Mestre Toshio Funada - Associação Toyo Igaku
  • Seminário (workshop) de Moxabustão, ministrado pelo Mestre Toshio Funada
  • Curso de Shiatsu (níveis básico, intermédio, avançado e estágio), ministrado pelo Mestre Toshio Funada - Associação Toyo Igaku = 410h = 18,5 valores (premiado com uma viagem ao Japão, incluindo estudos no Instituto de Medicina de Kyoto, por ter sido o aluno com melhor nota)
  • Workshop de Massagem TUINA (dores e lesões, com o Profº Dr. Peng Xuming)
  • Workshop de ANMA (Mestre Dr. Toshio Funada)
  • Seminário de Ryodoraku com Dr. Uchida, vindo Japão (Associação Toyo Igaku)
  • Workshop de Ryodoraku com o Mestre Toshio Funada
  • Curso de Formação Pedagógica Inicial de Formadores (B-Training - Intalações do ISCTE)
  • Frequentei o Módulo I da TERAPIA BOWEN, ministrado Pela Drª Lisa Black, da International School of Bowen Therapy = 16 horas
  • Curso de Xamanismo Clássico = 3 dias
  • Curso de Terapia Sacro-craniana - Upledger Institute
  • Estudante de Luoghan Chi Kung, pela Chinarte (único representante do estilo na Europa)
  • Estudante de Acupunctura Japonesa Ryodoraku na Associação Toyo Igaku, com Mestre Toshio Funada
  • Estudante do Curso Superior de Medicina Tradicional Chinesa
  • Formador de Reflexologia Podal e Vertebral, Massagem Desportiva e de Reabilitação, Técnicas Manipulativas, Thai Massage e Oriental Body Work 
  • Personal Trainer - Ginástica Aplicada aos Desportos de Combate, exercícios posturais correctivos, fortalecimento, alongamento e Pilates  
  • Habilitado com Carta Europeia de Condução em Informática
  • Estudante do Curso Superior de Educação na Universidade Aberta
  • Formador com CAP emitido pelo IEFP

Revelo aqui nesta foto uma das minhas vocações "Artes Marciais":

imagem.jpg

Home | Catálago | Contactos e links | O meu local de trabalho | Catálogo (2) | O que faço? | Historial de vida / curriculum | Livro de Visitas

Espaços de Saúde, Lazer e Bem-estar:  Lisboa *Portugal* 
- Consultas, tratamentos, seminários, workshops, e cursos extensivos -